Recusado pelo SP por conta do Twitter reestreia com gols: quero emplacar

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL

  • Divulgação/J. Malucelli

Getterson é um nome que o torcedor do São Paulo não teve tempo de decorar, mas cuja história marcou época com a camisa do clube: a época da vigília em redes sociais. Contratado pelo Tricolor paulista em 2016, o atacante mal posou para fotos com a camisa do clube e já teve o contrato rescindido por conta de uma postagem no Twitter em 2012, quando, ainda aos 20 anos, chamou o futuro-ex-clube de "Bambis" e se declarou corintiano.

Hoje, aos 25, Getterson celebrou a volta ao Brasil com dois gols pelo J. Malucelli, clube-empresa de Curitiba que já teve o nome-fantasia de Corinthians Paranaense. O Jotinha, como é conhecido o clube, abriu o Estadual 2017 fazendo 3 a 0 no Cascavel. Getterson marcou duas vezes nesse retorno, após ser emprestado ao FC Dallas, dos EUA, por quem foi campeão da Copa MLS. Em contato com a reportagem do UOL, o atacante celebrou a boa reestreia e garantiu que mantém o sonho de jogar em um grande clube brasileiro.
~
UOL – Começar com dois gols é um sonho, não?
Getterson – Ah... comecei com o pé direito, Graças a Deus. Pude desempenhar um bom futebol nessa rodada e os gols saíram naturalmente. O Jota sempre monta comissões capacitadas, elenco capacitado.

E hoje, olhando tudo o que aconteceu ano passado, o que ficou de lição?
Para mim, o que aconteceu foi inesperado, não imaginaria nunca. Mas já passou. Minha família me apoiou demais. Nos EUA tive uma boa passagem, curta, mas disputei quatro títulos e ganhei dois (Nota: ele cita o título da Conferência Oeste da MLS, além da Copa). Retornei agora no Jota para ter novas oportunidades e conseguir emplacar no Brasil.

Você viu que o Neílton passou o mesmo que você, mas ficou no São Paulo?
Eu vi sim, até porque fizeram um twitter falso com meu nome, colocaram uma foto minha dizendo "O Neílton vocês contratam, eu não", mas já consegui que excluíssem a conta. Cada situação uma situação, né?.

E aí você volta ao Brasil fazendo dois gols. Apesar de tudo, você se vê jogando em um grande clube brasileiro?
Estreia igual essa é difícil superar, Graças a Deus. Olha, depende do meu desempenho, como falei, estou focado, trabalhando ao máximo. Me vejo sim jogando em um grande clube e mostrar porque eu estava indo para o São Paulo.

Até porque todo mundo tem um time do coração...
É, todo mundo tem um time. Creio que nem todos que jogam nos grandes torcem para o time que jogam. Mas torcedor não entende isso. Agora eu sou profissional, estou numa outra fase. Se naquela época eu tivesse a base que tenho hoje não tinha feito aquilo.

Essa fase boa inclui a gravidez da sua esposa, não?
É, vou ser pai de novo. Da Sofia agora, pra junho. Já tenho o Joao Vitor, 7 anos, diz ele que quer ser jogador.

E ele torce pra quem?
Ele torce pra mim, sempre!
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos