Tchê Tchê exalta idas ao ataque e diz: "Ninguém joga porque é bonitinho"

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • Kin Saito / CBF

Tchê Tchê não esconde que vive um momento extremamente feliz. Mais solto nas entrevistas, com direito até a piadas nas respostas, o meio-campista do Palmeiras contou que tem mais liberdade para ir ao ataque com Eduardo Baptista.

Eleito melhor meio-campo do Brasileirão e de contrato renovado, o atleta segue como destaque neste início de temporada, mas rejeita o rótulo de titular absoluto.

"Ninguém aqui vai jogar porque é bonitinho ou porque gostam de mim", disse ele. "Eu estou procurando evoluir e agora tenho mais liberdade para ir à frente. É sempre bom fazer gol, porque é o melhor momento do futebol. É uma função nova, estou me adaptando, chegando mais ao gol e estou feliz por isso", explicou.

Depois de algumas respostas sobre a mudança tática com a troca de treinador, o meio-campo foi questionado sobre a chance de virar o "homem-gol" do time. Aos risos, ele negou a chance.

"Não estou falando aqui que vou ser artilheiro, não. Daqui a pouco vai sair por aí que eu quero isso e aí... Isso daí eu deixo para os atacantes".

Tchê Tchê fez tudo o que pôde pela seleção

Ausência na lista de Tite para o jogo entre Brasil e Colômbia, na última quarta-feira, Tchê Tchê foi um dos nomes mais citados como possível alvo de injustiça. 

O meio-campista diz que fez o máximo que poderia para ser lembrado pelo treinador, mas disse manter a tranquilidade.

"Frustrado eu não diria, porque meu foco é no Palmeiras. Mas eu criei expectativa, mas como eu disse em uma entrevista, não poderia fazer mais. Ganhei tudo individualmente e fui campeão do Brasileiro pelo Palmeiras. Foi questão de preferência mesmo", pontuou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos