Goleadas e fim de jejum. Capitão do Cruzeiro lembra clássicos inesquecíveis

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Thomas Santos/AGIF

    Com mais de sete anos de clube, Henrique vive expectativa para mais um clássico

    Com mais de sete anos de clube, Henrique vive expectativa para mais um clássico

A temporada de 2017 mal começou e o calendário oficial de jogos já colocará frente a frente os dois maiores clubes de Minas Gerais. Nesta quarta-feira, Cruzeiro e Atlético-MG se encontram pela Primeira Liga, no Mineirão. Apesar de não ter tanto apelo quanto a uma final de Estadual, o jogo, como de costume, já movimenta Belo Horizonte e mexe tanto com os torcedores quanto com os jogadores. E um deles é o capitão Henrique. Com experiência de mais de sete anos defendendo o Cruzeiro, o volante reconhece a importância de jogar e sair vencedor do "campeonato à parte" diante do maior rival.

Em duas passagens pelo Cruzeiro, Henrique já vivenciou momentos dos mais variados dentro e fora de campo contra o Atlético-MG. De derrotas e sequências amargas à vitórias históricas, o jogador não se esquece de três clássicos marcantes para ele.

"No ano retrasado, fazia tempo que a gente não ganhava. Fomos lá (no Independência) e ganhamos. Aquele foi um momento muito importante. As finais de 2008 e 2009 também foram muito felizes. Tem vários clássicos que marcam nossa memória, pelo momento, pela forma com que aconteceram", comenta.

No primeiro clássico citado pelo jogador, as dores no pé direito tiraram Henrique do jogo no Independência, em junho de 2015. Mesmo fora de combate, o jogador viu Charles e Willians formarem a dupla de volantes e comemorou a vitória por 3 a 1 que findou um jejum de 11 jogos de invencibilidade atleticana. De lá pra cá, já foram jogados outros cinco clássicos, mas desta vez quem está invicto neste período é o Cruzeiro.

Há quase dez anos, o Cruzeiro levou a melhor diante do Atlético em duas finais históricas no Campeonato Mineiro, desta vez com Henrique em campo nas duas oportunidades. Em 2008, o volante jogou a final do estadual que terminou com a goleada celeste por 5 a 0 em pleno ano do centenário atleticano. Na temporada seguinte, Henrique também participou de outro chocolate, com o mesmo placar e novamente na decisão do Mineiro. No atual elenco, somente ele e o goleiro Fábio estiveram em campo naqueles compromissos.

"É gostoso de jogar o clássico, sabemos da importância que é. É diferente, move muita coisa, torcedor cobra diferente, nós também temos esta consciência. É um jogo de extrema importância que todos gostam de estar em campo", acrescentou.

Nesta quarta-feira, o derby mineiro será jogado às 19h30, no Mineirão. Após três anos, o clássico voltará a ser disputado com as torcidas divididas meio a meio no Mineirão, algo que não acontecia desde a reinauguração do estádio, em 2013. Desde então, o Cruzeiro, quando mandante, disponibilizava apenas 10% dos ingressos aos torcedores rivais no Mineirão. O Atlético praticava o mesmo quando mandava seus clássicos no Independência.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos