Artilheiro da Copa Africana teve documento alterado e brilha na Ásia

Do UOL, em São Paulo

  • Issouf Sanogo/AFP Photo

    Kabananga comemora gol pela República Democrática do Congo

    Kabananga comemora gol pela República Democrática do Congo

Nem Aubameyang, nem Mahrez. Antes das semifinais da Copa Africana de Nações, que começam nesta quarta-feira, o artilheiro do campeonato é Junior Kabananga, um atacante de 27 anos da República Democrática do Congo. Seu time já foi eliminado, mas ele garantiu destaque ao fazer gols nos três jogos da primeira fase. Destaque que também evidencia uma polêmica envolvendo sua carreira.

Atual jogador do Astana, do Cazaquistão, Kabananga brilhou nos dois títulos nacionais obtidos por seu time. Mas seu primeiro destino fora da África foi o Anderlecht, da Bélgica. Ele mal ficou no time e acabou emprestado algumas vezes, mas o primeiro contrato teve um documento adulterado que alimenta até hoje uma briga internacional.

Time que o formou na República Democrática do Congo entre 2001 e 2005, o Eagle Verts acusou em 2011 o o Anderlecht de ter fraudado documento ao contratar o atacante do MK Étanchéité, também do Congo. A alteração indicava que Kabananga ainda era amador quando trocou o Étanchéité pelo Anderlecht, o que faria desse clube africano o último formador.

O Eagle Verts, no entanto, conseguiu provar que ele já era profissional e por isso cobra 100 mil euros do Anderlecht. Depois de muita disputa, o time belga assumiu o erro, mas disse que não houve intenção. E ainda apontou a pouca relevância futebolística do atacante para se justificar.

"Com todo respeito a Kabananga, não tínhamos motivo para fazer qualquer coisa errada intencionalmente por um jogador do seu calibre", informou o porta-voz.

A briga segue nos órgãos internacionais, mas enquanto isso o atacante faz sua parte para ficar conhecido por suas atuações em campo. Na Copa Africana de Nações, ele fez gol nas três partidas da primeira fase, contra Marrocos (1 a 0), Costa do Marfim (2 a 2) e Togo (3 a 1). Os resultados garantiram a ele a artilharia isolada com três gols e o Congo na liderança do "grupo da morte".

Nas quartas de final, no entanto, Kabananga passou em branco e sua seleção acabou eliminada, perdendo por 2 a 1 para a forte Gana. Mas antes das semifinais, ele segue no topo da artilharia, chamando a atenção para seu lado goleador.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos