Luciano Cabral segue preso e é processado por homicídio qualificado

Do UOL, em São Paulo

  • Marco Oliveira/Site Oficial

Após audiência que durou cerca de três horas, o juiz Ignacio Olmedo acatou acusação de homicídio qualificado e manteve a prisão preventiva do jogador Luciano Cabral, do Atlético-PR, pela morte de Joan Villegas no dia 1º de janeiro de 2017.

O juiz também manteve a ordem de prisão para o pai do jogador, José Cabral, e Axel Olguín. A audiência ficou marcada por protestos dos familiares e amigos da vítima e por um forte esquema de segurança em torno do Juizado.

O juiz negou o pedido de liberdade dos advogados de Luciano Cabral, com base na acusação da Promotoria. Eles foram processados por homicídio qualificado e foram encaminhados de volta à penitenciária São Rafael, onde já estavam presos. A defesa tem três dias para recorrer da decisão. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos