Mustafá Contursi descarta rompimento com Nobre e defende Leila Pereira

Alexandre Praetzel e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Eduardo Ohata/UOL Esporte

    Mustafá Contursi (centro) é o padrinho político do casal da Crefisa no Palmeiras

    Mustafá Contursi (centro) é o padrinho político do casal da Crefisa no Palmeiras

Um nome ganhou força no atual momento político do Palmeiras. Velho conhecido da política palestrina, o ex-presidente Mustafá Contursi abraçou a candidatura do casal José Roberto Lamacchia e Leila Pereira, donos da Crefisa, ao Conselho Deliberativo do clube. O antigo mandatário prestigiou o evento de lançamento de Leila na última quarta-feira.

Em uma noite dedicada à proprietária da patrocinadora do clube, que acertou detalhes da renovação por dois anos em almoço com Mauricio Galiotte, Mustafá Contursi também aproveitou para falar, após tempos de silêncio. O ex-dirigente, inclusive, se recordou de Paulo Nobre.

Hoje com o antecessor da presidência em lado oposto na política do Palmeiras – Nobre defende a impugnação da provável eleição de Leila Pereira ao Conselho -, Mustafá tratou de discursar de maneira política sobre o último presidente palmeirense. Qualquer rompimento foi negado.

"Não há nenhuma razão para que ninguém rompa com Paulo Nobre. Ele começou a sua trajetória na minha diretoria, nos anos 90, sempre o levei em grande consideração", disse Mustafá Contursi, que prevê um Nobre participativo ainda no dia a dia palmeirense.

"Não podemos deixar de reconhecer a grande contribuição dele para com o Palmeiras. Essa contribuição que ele continuará dando com as suas atividades dentro dos órgãos do Palmeiras, como membro honorário do COF", afirmou Mustafá.

Apesar do discurso elogioso a Nobre, o presidente palmeirense na Era Parmalat se encontra em um lado oposto ao do último presidente na questão da candidatura de Leila Pereira. Foi Contursi quem defendeu a presença da proprietária da Crefisa no quatro de sócios desde 1996; um grupo de associados questionou esta data nos últimos dias.

Mustafá, em contrapartida aos opositores, ratificou a sua posição sobre o assunto e garantiu a legibilidade de Leila Pereira para o pleito – apenas pessoas associadas a mais de oito anos podem concorrer a cargos dentro do Palmeiras.

"Depois de mais de 65 anos de associado; conselheiro vitalício desde 1973; ex- presidente e sócio grão-benemérito… Depois de todas essas participações no Palmeiras, não tenho que discutir a credibilidade das minhas informações", limitou-se a dizer.

Força política? Nem tanto

A entrada de Leila Pereira reforçou a influência de Mustafá Contursi dentro da política palmeirense. Ele, no entanto, minimiza qualquer poder dentro do Conselho Deliberativo, mesmo com a possibilidade de emplacar alguns candidatos da chapa Palmeiras Forte – Leila, provavelmente, a mais votada – no próximo Conselho Deliberativo.

"Sou apenas 1 dos 300 avos do Conselho do clube. Não me considero nem forte e nem poderoso; e nem pretendo ser. Só não irei contra os meus conceitos dentro do clube", sentenciou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos