Fã de Riquelme e video game: quem é o novo uruguaio de 18 anos do Grêmio

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

Martin Chaves chegou a Porto Alegre e assinou contrato de um ano com o Grêmio. Aos 18 anos, ele deixa o Peñarol como uma das principais estrelas na base uruguaia. Com paixões naturais da idade, como internet e video game, o menino se inspira em Riquelme, é especialista em 'caneta' e não larga do chimarrão. 
 
No Uruguai, Chaves ganhou o apelido de 'arroba'. Em alusão ao perfil nas redes sociais utilizado diariamente por ele. E através do qual revela suas principais características. 
 
É um adolescente, como muitos no futebol. Não larga do video game. Posta fotos jogando com companheiros de time, na concentração, em casa. Mas também dá espaço para seriedade. 
 
E foi com tal característica que se despediu do clube que defendeu desde os 12 anos. Sem sorrisos ou brincadeiras. Falou tal qual um experiente jogador ao sair do Peñarol.
 
"Quero agradecer ao clube que defendo desde os 12 anos. Sei que será uma grande experiência pessoal e profissional e amanhã poderei voltar mais maduro como pessoa e jogador. Por um lado estou muito feliz de jogar em um clube como o Grêmio, por outro com uma dívida de jogar no time principal do Peñarol. Não é um adeus, mas um até logo a companheiros, comissão técnica, torcedores que sempre me apoiaram", postou em seu perfil oficial no Twitter. 
 

Dribles, gols e fama precoce

 
Martin Chaves é considerado um dos mais valiosos jogadores das categorias de base do Uruguai. Defende as seleções nacionais desde muito cedo. Tem 18 anos e sua fama já rodou o país. O Grêmio o observou na Copa Ipiranga, disputada no Rio Grande do Sul. Ele marcou contra o Universidad de Chile e o Vasco. 
 
Sua chegada é por empréstimo de um ano, atuará primeiro no time de transição e dependendo do rendimento vai ao profissional. O molde remete ao feito com Luan, que percorreu o mesmo caminho. Ao fim do ano, 60% dos seus direitos estão fixados em 1 milhão de dólares (R$ 3,2 milhões pela cotação atual). 
 
A inspiração do menino vem de um craque: Juan Roman Riquelme. O argentino que jogou muito tempo com a 10 do Boca Juniors é frequentemente citado por Chaves. "O último meia clássico do futebol. O camisa 10. Como ele não haverá outro", disse à Rádio Gaúcha. 
 
E inspirado em Riquelme veio a preferência pelo drible e a especialidade em 'canetas'. É através da bola entre as pernas do rival que Chaves faz a maioria dos seus gols. Até mesmo contra o Vasco, na Copa Ipiranga, a defesa sofreu com tal característica. 
 
Paixão maior só pelo inseparável chimarrão. Algo que não será problema em Porto Alegre, já que desfilar com cuia e térmica em mãos aproxima gaúchos e uruguaios, e facilitará adaptação. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos