Ausente contra o Atlético-PR, goleiro rival se divide entre fé e profissão

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, de Curitiba

  • Divulgação

    Goleiro do PSTC, Vitor Ressurreição é adventista

    Goleiro do PSTC, Vitor Ressurreição é adventista

"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas."

Nunca aos sábados, reza a leitura adventista da Bíblia em Êxodo, capítulo 20, versículo 8, reproduzido acima. Um problema para um atleta de futebol, que tem no final de semana sua ápice da atividade profissional. Qual a escolha? Renunciar à fé ou ao trabalho?

Carlos Vitor da Costa Ressurreição – ou só Vitor, goleiro – conseguiu um clube que acreditasse que é possível conciliar ambos: o PSTC (Paraná Soccer Technical Center), da primeira divisão paranaense, clube em que Kléberson, Jadson, Fernandinho (do City) e Rafinha (do Bayern) deram seus primeiros passos na carreira. Porém, no último sábado (04), quando seu clube empatou por 2 a 2 em Curitiba contra o Atlético-PR, Vitor não estava em campo.

O PSTC aceitou que Vitor não estivesse em campo neste sábado. Quem jogou é Juninho, que ficou no banco de Vitor na derrota contra o Prudentópolis na primeira rodada do Paranaense 2017 (0 a 2).

Vitor decidiu pela fé ainda como goleiro no Londrina, no início do ano: não atuaria mais profissionalmente do entardecer da sexta-feira ao anoitecer do sábado. O clube teria pela frente uma Série B e não renovou seu contrato. Foram seis meses parado até que o PSTC lhe procurasse. "Eu estava em casa, em Salvador, lembraram de mim e fizeram a proposta respeitando a minha crença", conta. A rotina está definida na cabeça dele: "Ao pôr do sol na sexta eu encerro a atividade, me recolho, vou para casa ou concentração. No sábado de manhã se tem trabalho, eu não participo, vou para igreja e fico com a família. Se o jogo for à noite, tudo bem jogar".

Parece simples, mas são vários os fatores. Por exemplo, concentração é trabalho? "Trabalho é voltado para seu próprio ganho, seu benefício. No sábado a Bíblia pede para descansar", argumenta em sua fé, "Os adventistas trabalham aos sábados, pregando o evangelho, visitando hospitais, por exemplo. Tem gente que não lava nem louça, mas isso é uma questão muito pessoal, de pessoas mais ortodoxas. Eu ficarei reservado no quarto, sem ver palestra ou preleção, por exemplo, até o entardecer de sábado.

"O período no hotel não será trabalho. Vou ficar reservado no quarto". Ele sequer viajou com a delegação para Curitiba. "As viagens eu posso fazer antes, ir na igreja da cidade onde estiver. Vou fico no hotel, vou à igreja daquela cidade. Anoiteceu, posso jogar", novamente responde Vitor.

Para o PSTC, a compreensão é de que a operação é de baixo risco. O salário, não divulgado, não chega aos dois dígitos. De quebra, o clube espera contar com um goleiro de 31 anos em um ano com Paranaense, Copa do Brasil e Série D. "Temos um ano cheio", conta Renato David, gerente de futebol. "Quem definirá quem jogará é o treinador, Reginaldo Vital [ex-Atlético-PR e Coritiba]. Estamos preparando a equipe para o calendário cheio. E se acontecer dele não poder jogar, nós contratamos outros dois excelentes goleiros."

Conflito de fé

Vitor não entende por que se polemiza sua decisão. "A gente vive num país católico, no domingo não se abre o comercio, é dia de ir à missa. Mas a Bíblia fala do sábado. Veja como é incoerente: atletas cristãos entendem que o domingo é um dia de guarda e não guardam, trabalham do mesmo jeito. Por quê? Porque hoje o dinheiro fala mais alto."

Ele recusou uma proposta da Chapecoense no começo do ano. Depois do acidente com a equipe, reforçou sua crença. "O avião caiu por que? O cara não queria abastecer pra ganhar. O dinheiro está matando todo mundo, as pessoas estão com câncer, com depressão. Ninguém para pra respirar. O sábado é pra isso, Deus indicou. Eu creio que não estava [no voo] por que segui aquilo que eu entendia ser fiel a ser uma verdade. Era um salário que eu nunca vi na vida, mas quando coloquei que não trabalharia nos sábados, não aceitaram."

O PSTC tem sede em Londrina, mas manda seus jogos em Cornélio Procópio. Vitor lembra do caminho trilhado junto ao goleiro Danilo, morto no acidente da Chapecoense. "Ele foi do Paranavaí para o Londrina, eu também. Depois ele foi para Chapecoense e eu quase fui", relembra, garantindo presença em um jogo para arrecadar fundos para a família de Danilo na semana do Natal.

A ideia de contratá-lo surgiu no PSTC após uma conversa com o fisioterapeuta do clube, Madjer Vinícius, que também é adventista.

"Sabíamos que o Vitor estava parado devido a crença dele e estávamos buscando um goleiro para equipe. Foi aí que surgiu a ideia de dar essa oportunidade. Ele está contente e nós também. É um grande atleta, um excelente profissional", atesta Renato David. Não haverá nenhum desconto no salário por conta das eventuais faltas. "Não é muito dinheiro, mas eu vim para jogar em um clube que aceite minha condição de fé", comemora o goleiro.

A Constituição garante, em seu artigo 5, o respeito ao livre credo, mas não há nenhuma lei que garanta o exercício da fé em seu calendário profissional. A convenção no Brasil, por maioria, é a adoção dos feriados católicos. O que se prega aos empregadores é o bom senso. É com isso que Vitor conta. "É como os fariseus queriam pegar, digamos, Jesus no pulo: 'mas se cair uma ovelha num buraco no sábado, você não vai salvar?" Existem médicos adventistas que dão plantão no sábado, a vida está acima de tudo. Se for vida ou morte, você tem que agir. O futebol é um espetáculo, é artístico, a vida não depende do futebol. Estou ali para entreter pessoas e ganhar meu sustento."

E se outros atletas, de outras religiões, resolverem exercer seu direito ao credo em outros dias? Uma pergunta ainda sem resposta para o gerente do PSTC. "Olha... a gente tem que respeitar a todos. É uma pergunta difícil. Acima de tudo é Deus, é algo do bem... essa pergunta eu não pensei ainda profundamente. Só pensamos no caso específico do Vitor. Deus vai nos abençoar nessa campanha", espera. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos