SP tem a receber R$ 38 mi extras até março. E já vai olhar para o mercado

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

  • Alexandre Schneider/Getty Images

    Venda de David Neres faz entrar dinheiro inesperado nesse momento para o São Paulo

    Venda de David Neres faz entrar dinheiro inesperado nesse momento para o São Paulo

O São Paulo vai fechar o mês com R$ 38 milhões extras no caixa. De maneira inesperada, o clube ganhou recursos para encerrar fevereiro com a possibilidade de contratar jogadores e dar mais qualidade ao elenco do técnico Rogério Ceni.

A venda do meia-atacante David Neres para o Ajax, da Holanda, é a principal responsável por essa entrada de capital. A diretoria não tinha a intenção de negociar agora o jogador e chegou até a recusar uma oferta de 10 milhões de euros (R$ 33,4 milhões). Porém, quando a proposta subiu para 15 milhões de euros (cerca de R$ 50 milhões) por 80% dos direitos, o atleta pediu para ser negociado e o clube também considerou a transação irrecusável.

Segundo apurou o UOL Esporte, os holandeses tem de pagar 10 milhões de euros (R$ 33,4 milhões) até o fim da próxima semana. Em julho serão depositados mais 2 milhões de euros (R$ 6,68 milhões). O restante deverá ser pago quando o jogador alcançar algumas metas - os dirigentes são-paulinos acreditam que rapidamente o clube poderá receber esse dinheiro.

Outra verba inesperada para o cofre tricolor vem da venda de Oscar, do Chelsea, da Inglaterra, para o Shanghai SIPG, da China. Por ser o clube formador do meia, o São Paulo tem direito a receber R$ 5 milhões pela transação, sendo que os chineses desembolsaram 52 milhões de libras (quase R$ 203 milhões) para tirá-lo da Inglaterra. O dinheiro deve ser depositado na conta do São Paulo até o fim deste mês.

Desta forma, o clube já garantiu R$ 55 milhões dos R$ 60 milhões previstos no orçamento com a venda de jogadores neste ano. Parte dessa verba, poderá ser utilizada em contratações.

No planejamento para 2017, o São Paulo espera gastar R$ 17 milhões com reforços. A ideia é que esse valor não seja excedido. A única possibilidade para que se gaste mais com reforços é no caso de as outras contas do orçamento também superarem os valores apresentados no ano passado.

Até mesmo por conta do Profut (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), o São Paulo não quer estourar o seu orçamento. A ideia é que parte dessa verba arrecada com a venda de jogadores também seja utilizada para a amortização das dívidas do clube. Com a diminuição do valor devido, o São Paulo reduz a taxa de juros que deve ser paga mensalmente para os credores e melhora a sua saúde financeira. O restante do dinheiro recebido com a venda de jogadores deve ser destinado para cobrir outros gastos do clube.

Nesta semana, o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, deve se reunir com o departamento financeiro e a diretoria de futebol para discutir os próximos passos. A ideia é que o clube consiga contratar um volante e um centroavante.

O São Paulo negocia com o meio campista Jucilei, do Shandong Luneng, da China, e procura um atacante no mercado. Depois de tentar trazer Calleri, Cristian Colmán, e sondar Nilmar, o Tricolor estuda a possibilidade de contratar Lucas Pratto, do Atlético-MG. Porém, o clube mineiro espera receber quase que o dobro do quanto o Tricolor pretende gastar no ano com contratações.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos