Palmeiras estudou Borja em detalhes. E a pontaria encantou E.Baptista

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Nelson Almeida/AFP

    Números de Borja no ano passado e histórico contaram para o Palmeiras investir R$ 35 mi

    Números de Borja no ano passado e histórico contaram para o Palmeiras investir R$ 35 mi

O aval para a contratação de Miguel Ángel Borja superou o ânimo e o potencial do reforço. Os números, as estatísticas e a análise da comissão técnica de Eduardo Baptista deram a certeza a Alexandre Mattos e companhia de investir R$ 35 milhões entre o pagamento ao Atlético Nacional-COL e às luvas do centroavante de 24 anos.

Todo o histórico do centroavante passou por profundo estudo do departamento de análise técnica do clube. A temporada passada, quando Borja despontou ao anotar 39 gols em 51 jogos por Cortuluá e Atlético Nacional, tornou-se apenas mais um item na conclusão de todo o staff palmeirense.

Os principais fatores que levaram o Palmeiras a apostar no colombiano se encontram nas características de jogo (descrito como um atacante 'rompedor'), a presença em campo – 51 jogos no ano passado, por exemplo -, o baixo índice de lesões e a pontaria.

Para um centroavante, a mira é primordial; e os números de Borja impressionaram Eduardo Baptista, minucioso nos estudos sobre o novo reforço palmeirense.

Foi passado ao treinador a estatística de, a cada cinco chutes a gol, um para dentro das redes. É esta estatística a mais chamativa para Eduardo Baptista e comissão técnica, já que, na análise, o colombiano sempre 'joga a responsabilidade para os goleiros'.

"Ele joga muito, machuca pouco e tem 24 anos. São dados que você acompanha com a análise de desempenho. Quando você contrata, não é só pela temporada passada. Às vezes podem acontecer erros, mas os dados que nos cercamos são muito positivos. É um jogador no histórico muito bons", disse Eduardo, antes de explicar o veredito da comissão a Borja.

"Quando faz uma contratação que é a maior da história do clube e o valor é muito alto, você tem que ter tudo em mãos. Tem de saber o passado dele, é um cara que não tem histórico de lesões. Há alguns aplicativos você pode acompanhar o jogador", acrescentou.

"O Borja era assim, tinham outros dois nomes que indicamos. Colocamos nomes de atacantes para que o Alexandre [Mattos] pudesse ir atrás. Que bom que o Borja teve a sua contratação finalizada, porque era um nome que desde o início estava no pensamento do Alexandre e na nossa lista", concluiu.

Borja chega ao Palmeiras para exercer a função de referência no setor ofensivo. Com finalização precisa, velocidade, força e presença de área, o clube alviverde enxerga o colombiano como o principal substituto a Gabriel Jesus, hoje, decisivo no Manchester City, da Inglaterra.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos