Zico faz desabafo sobre abandono do Maracanã e pede "volta do povão"

Do UOL, em São Paulo

Principal nome da história do estádio e ilustre torcedor em suas cadeiras, Zico está indignado com a atual situação do Maracanã. Neste sábado, o ex-treinador do FC Goa, da Índia, se manifestou de forma dura e contundente nas redes sociais.

"O que estão fazendo com o Maracanã é um absurdo. Visitei o estádio, onde tive tantas alegrias e vivi alguns dos melhores momentos da minha vida, e me deparei com um cenário de descaso e abandono", escreveu o Galinho de Quintinho em sua página do Facebook, na qual também publicou um vídeo.

As imagens relembram grandes momentos da história do estádio, como a final do futebol nos Jogos da Rio 2016, a visita do Papa João Paulo II em 1997 e algumas conquistas dos principais times cariocas. Em seguida, o vídeo exibe o cenário atual do Maracanã, suas arquibancadas vazias e um gramado que requer cuidados.

"Vivi grandes momentos, talvez os melhores da minha vida como jogador aqui dentro, e grandes momentos como torcedor. Encontrar o Maracanã desse jeito sem dúvida nenhuma me deixa bastante indignado, chateado. Eu acho que o Maracanã tem que ser a casa do futebol, isso aqui é um templo", disse Zico no vídeo, não mais em texto.

"Quantos jogadores do mundo inteiro gostariam de estar aqui dentro. Você tem Wembley, você tem San Siro, você tem diversos estádios, mas o Maracanã é diferente. A gente tinha que trazer de volta o povão para o Maracanã, voltar a fazer jogos internacionais, grandes eventos", pediu o ídolo do Flamengo.

Vale destacar que o estádio tem Zico como o maior artilheiro de sua história, uma vez que foram 334 gols em 435 partidas. Também foi o atleta a marcar mais vezes em um único jogo: seis gols na goleada do Flamengo por 7 a 1 sobre o Goytacaz, pelo Campeonato Carioca de 1979.

"Gostaria que essa gente que andou tomando conta do Maracanã ficasse em um lugar, de preferência em Bangu, para que só saíssem dali quando fosse resolvida essa história. Porque eles não poderiam deixar o Maracanã entregue como está hoje", disse Zico, fazendo alusão ao complexo penitenciário do Rio de Janeiro.

REUTERS/Nacho Doce

Entenda o caso

O Maracanã é alvo de intensa briga jurídica. A Justiça determinou em 13 de janeiro, em caráter de liminar, que o Complexo Maracanã Entretenimento reassumisse imediatamente o controle do estádio. A concessionária é de propriedade da Odebrecht, que está sendo investigada pela Operação Lava Jato.

A concessionária entrou com recurso no Tribunal para que não tenha que retomar o controle do Maracanã, mas o desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira negou o pedido. Em meio à batalha nos tribunais, o Maracanã ficou abandonado. Materiais foram furtados. A operação no local foi suspensa, afetando até o gramado do estádio.

O Governo do Estado do Rio de Janeiro aprovou, na última quarta-feira (8), as propostas das duas empresas que pretendem assumir a administração do Maracanã. A decisão da Secretaria da Casa Civil publicou o "nada consta" a respeito das duas concorrentes no Diário Oficial desta quinta (9).

Diante do ok do Governo, a GL Events e a francesa Lagardère estão liberadas para negociar com a Odebrecht – que detém a concessão atual e negocia para repassar a administração do local.

A ideia do Governo, antes de dar seu parecer, era avaliar a capacidade das duas empresas de assumir o Maracanã sem causar novos impasses e checar se ambos atendiam às exigências técnicas. Deste modo, GL e Lagardère brigam para ficar com os 95% da Odebrecht no controle da concessionária. Os outros 5% seguirão com a AEG.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos