Presidente do Fla vê mensagem polêmica como infeliz, mas reclama de malícia

Do UOL, em São Paulo

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, classificou, em entrevista à "Fox Sports", como infeliz a mensagem do perfil oficial do clube no Facebook comemorando a vitória sobre o Botafogo no último domingo. Porém, o mandatário rebateu quem viu malícia no texto, alegando que ele foi postado antes do conhecimento de que uma pessoa havia morrido em confronto no lado exterior do Engenhão.

"Tenho plena convicção que foi infeliz, mas foi postado antes de qualquer conhecimento que uma pessoa havia morrido. Acho até que foi desnecessário se referindo a um resultado de campo, mas não faz nada em menção (ao que aconteceu fora de campo)", disse.

"Ele foi interpretado maliciosamente como apologia à violência. Claro que (a pessoa que escreveu) soubesse, se tivesse conhecimento que ela havia morrido, certamente não escreveria. Não houve intenção. Qualquer pessoa inteligente sabe que não teve nenhuma apologia", completou.

A polêmica começou quando o perfil do Flamengo escreveu ""#CadeVocê? Não adianta fugir, não adianta correr" no Facebook após a vitória por 2 a 1 no Engenhão. A frase faz parte da letra de uma música cantada pelos flamenguistas em direção aos botafoguenses.

"É sério que estão fazendo apologia à violência em um dia triste, de confusão, apreensão e morte? Para nós, o futebol não é isso. Começa por paz nos estádios e segurança", diz a postagem do Botafogo.

Após a repercussão, o Flamengo divulgou nota oficial e acusou a resposta do Botafogo de leviana.

"O Flamengo é um clube austero, íntegro e, apesar de se manifestar com humor quando cabe nas redes sociais, jamais faria "provocação" relacionada a um assunto tão sério e triste quanto a violência que, todos sabem, é mazela social infelizmente comum em nosso país. Pelo contrário. Sempre condenamos e sempre vamos condenar atos como de hoje no entorno do Engenhão. A acusação por parte do perfil do Botafogo é, além de leviana, irresponsável e inconsequente. Como toda violência.", diz.

Antes da partida, uma confusão ao redor do Engenhão deixou um torcedor botafoguense morto: Diego Silva dos Santos, de 28 anos, foi baleado no peito e não resistiu aos ferimentos. Outros oito torcedores foram levados à hospitais da região.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos