De descartado a titular. 5 passos de Léo em sua recuperação no Cruzeiro

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Washington Alves/Light Press/Cruzeiro

    Zagueiro passou por um 2016 difícil, mas começa a nova temporada em alta no Cruzeiro

    Zagueiro passou por um 2016 difícil, mas começa a nova temporada em alta no Cruzeiro

No final de semana passado, Léo escreveu mais um capítulo importante em sua história dentro do Cruzeiro. Ao marcar o gol de cabeça contra o Tupi, em Juiz de Fora, o jogador entrou na lista dos três maiores zagueiros artilheiros em toda a história do clube. Mas nem todos os momentos foram fáceis nessa trajetória que já dura seis anos e seis meses na Toca da Raposa. Antes de se reafirmar no time titular e virar um dos homens de confiança de Mano Menezes, Léo passou por um 2016 com momentos complicados que vão desde as poucas oportunidades até a demora para ter seu contrato renovado.

Abaixo, o UOL Esporte resumiu cinco momentos importantes nos últimos 12 meses que destacam a recuperação e volta por cima do camisa 3:

1) Sem convencer Paulo Bento, virou a quinta opção na zaga

Até o mês de julho, Léo teve pouquíssimas oportunidades no Cruzeiro. Durante o primeiro semestre, ainda sob o comando de Deivid, o jogador não esteve o tempo todo à disposição, já que retornou de uma lesão grave no joelho que o deixou de molho por cinco meses. Mas a situação não mudou com Paulo Bento. Preterido pelo português, Léo chegou a ser a quinta opção na zaga, atrás de Manoel, Bruno Rodrigo, Bruno Ramires e Fabrício Bruno.

2) Jogador entrou na lista de negociáveis do Cruzeiro

Durante a passagem de Paulo Bento pela Toca da Raposa II, Léo chegou a ser dado como negociável. O diretor de futebol Thiago Scuro conversou com membros das cúpulas de América-MG e Corinthians a fim de se desfazer do jogador. Contudo, as conversas com outros clubes foram fracassadas e o atleta permaneceu em Belo Horizonte, apesar da ausência de oportunidades sob a batuta do técnico português.

3) Renovação de contrato arrastada

Com o antigo contrato válido até dezembro de 2016, Léo viveu a incerteza sobre seu futuro no clube. Cruzeirense, o jogador nunca escondeu o desejo de permanecer no clube, mas viu as negociações serem adiadas com frequência. Somente no mês de novembro, a diretoria se mostrou disposta a continuar com o atleta e renovou o contrato por mais dois anos, até dezembro de 2018.

4) Zagueiro revive com a chegada de Mano Menezes

Se Léo entrou em campo por quatro vezes com Paulo Bento, sua a história foi diferente com Mano Menezes. Com a volta do treinador, o jogador recuperou o prestígio e teve atuações bem mais frequentes. Em quatro meses, o zagueiro fez 12 jogos no Brasileirão e outras sete partidas pela Copa do Brasil, terminando o ano como titular do time.

5) Léo se firma no time titular e vira 3º maior zagueiro artilheiro

Dos seis jogos do Cruzeiro até aqui, Léo só não esteve em campo diante da Chapecoense, ocasião em que Mano Menezes preferiu escalar os jogadores reservas. Titular ao lado de Manoel, o zagueiro iniciou o ano desbancando o equatoriano Kunty Caicedo, recém contratado para o setor. No último sábado, se tornou o terceiro maior zagueiro artilheiro em 96 anos do clube. Agora com 17 gols, Léo só é superado por Geraldão, que tem 30, e Cris, que soma 25.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos