Zico diz que não aceita treinar times do Brasil por fidelidade ao Flamengo

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação

Zico não pretende jamais em sua carreira treinar uma equipe do Brasil que não seja o Flamengo. Foi isso que disse o ex-jogador nesta sexta-feira (17) durante uma entrevista coletiva organizada pela Udinese, clube pelo qual brilhou na década de 80.

O Galinho, que treinou o Goa FC (IND) nos dois últimos anos disse que está aberto a receber propostas para comandar um time.

"Se aparecer qualquer oportunidade, estou à disposição, mas não no Brasil. Por que? Sou muito ligado e fiel ao Flamengo", disse.

"Se me chama a Udinese (risos). Eu me comportaria bem", completou Zico, que atualmente está trabalhando como comentarista do Esporte Interativo.

Zico está na Itália para uma série de homenagens que seu ex-clube lhe prestará neste fim de semana. "É maravilhoso estar de volta à Udine, um sentimento incrível. Sempre fiquei ligado na Udinese", afirmou.

Ele foi questionado também pelos repórteres se via Neymar como um sucessor seu no futebol mundial e na seleção brasileira.

"Neymar o meu herdeiro? Ele está entre os melhores do mundo, mas não gosto de usar este termo. Eu não gostava de ser herdeiro de ninguém", disse.

Ele criticou também a realização da Copa do Mundo com 48 seleções a partir de 2026.

"Infelizmente, o futebol está nas mãos de pessoas que não tem o melhor dos interesses em seus corações. Uma Copa do Mundo com 48 times é por causa do dinheiro", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos