Como a geração do Barcelona que "ofuscaria" a de Messi deu tão errado?

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

  • Divulgação

    Geração 95 do Barcelona ganhou todos os títulos possíveis na base, mas não vingou no profissional

    Geração 95 do Barcelona ganhou todos os títulos possíveis na base, mas não vingou no profissional

O Barcelona imaginou ter uma geração de craques melhor que a histórica formada por Piqué, Fàbregas e Messi - todos nascidos em 87. Em 2010, o clube viu jovens de 15 anos quebrarem recordes de títulos e vitórias na categoria de base. Na época, a aposta foi feita: essa será a maior safra da história.

É a famosa geração 95 da La Masia, a fábrica de talentos do Barça, e que ganhou todos os nove títulos disputados em duas temporadas na base entre os anos de 2009 e 2011 - recorde jamais igualado na Espanha -. A expectativa criada foi gigante, com altos contratos sendo assinados e cobiça de outros gigantes europeus. Atualmente, estão com 22 anos e ninguém faz parte do elenco profissional do Barcelona.

"É algo a ser lapidado com cuidado. Não tenho dúvida que essa será a melhor geração da história do Barça. O futuro do time profissional", comentou à época, Eusebio Sacristán, o técnico do time promissor.

Samper está emprestado ao Granada


Os cabeças da época ainda possuem certa fama. O volante Samper e o atacante Sandro, por exemplo, são jogadores do Barcelona, mas atuam emprestados (Granada e Málaga, respectivamente). Só que a grande maioria convive com o ostracismo.

Os maiores expoentes são o goleiro camaronês Joseph Ondoa, atualmente no Sevilla B da segunda divisão da Espanha, e o camisa 10, Simón Colina, catalão e que tenta o sucesso atuando no Radomiak Radom, da segunda divisão da Polônia.

Caso de maior sucesso da geração é o do lateral direito catalão, Bellerín. O jogador aceitou convite para atuar na base do Arsenal em meio ao sucesso no juvenil do Barça, e é titular do time inglês atualmente. O retorno ao Barcelona é sempre especulado, em caminho parecido ao do zagueiro Piqué - deixou a La Masia para terminar a formação no Manchester United.

No elenco do time formado por jogadores nascidos em 95 também estava Maxi Rolón. O atacante argentino assinou contrato com o Santos no ano passado, mas após apenas cinco jogos já foi descartado - atualmente está no Deportivo Lugo, time da segunda divisão da Espanha.  

"É algo incrível como ruiu a geração 95. Isso fez o cenário mudar. Não se cria mais expectativa de craques no Barcelona como antes. Essa foi a última geração que conviveu com uma pressão de formar novos jogadores como Messi. Hoje o time foca a busca no mercado. Os meninos sofreram psicologicamente", destacou o jornalista Bruno Alemany, da rádio catalã Cadena Ser.

Confira a escalação base do vitorioso time formado por jogadores nascidos em 95 e os clubes em que atuam no momento.

Joseph Ondoa (Sevila B); Marc Navarro (Espanyol B), Roger Riera (Celta B), Pol Garcia (Unione Sportiva - Itália); Grimaldo (Benfica B); Samper (Granada), Simón Colina (Radomiak Radom - Polônia); Jon Toral (Glasgow Rangers - Escócia), Bellerín (Arsenal), Sandro (Málaga) e Iván Romano (Montañesa).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos