Provocação a Guerrero e Romário como meta: a chegada de Luis Fabiano

Do UOL, no Rio de Janeiro

  • Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Ídolo antes mesmo de vestir a camisa, Luís Fabiano sabe como inflar o ego dos vascaínos. Durante coletiva de imprensa, na sede náutica do clube, na Lagoa, o novo reforço não ficou em cima do muro e provocou Guerrero ao ser perguntado sobre a rivalidade com o atacante do Flamengo.

"Não tenho nenhuma rivalidade com o Guerrero, já joguei contra algumas vezes no São Paulo. Ele defende o dele e eu o meu. Até porque não tem como ter essa rivalidade entre eu e ele. São idades diferentes, número de gols diferentes. Eu tenho muito mais que ele por sinal [risos]. É bom para o futebol ter esse tipo de coisa, mas sem violência. Precisa voltar a ter essa rivalidade para promover o espetáculo", provocou.

Ainda no aeroporto, Luis Fabiano descobriu sua nova música. Torcedores do Vasco não perderam tempo e cantaram o funk: "Não adianta falar, que o caô acabou. O Caô só começou, o Fabuloso chegou". A letra de MC Charles  é uma clara provocação a Guerrero, que tem a música "Acabou o caô, o Guerrero chegou, o Guerrero chegou".

"É o folclore do carioca fazer música. É muito legal. Gostei. Com certeza é muito legal, e são coisas que motivam. O caô só começou", afirmou o novo atacante do Vasco entrando na brincadeira e clima de rivalidade.

Além de Guerrero, o nome de Romário também apareceu na entrevista. Luis Fabiano minimizou a idade avançada (36 anos) e usou Romário como exemplo.

"Desde o primeiro momento os torcedores já começaram a me mandar mensagens de apoio. Foi muito legal. Vejo vários jogadores com mais de 35... até 40... Quando o jogador sabe, sabe com 28 ou 40, como foi o Romário. Gol eu não desaprendi a fazer. Em forma ainda tenho muito a acrescentar", disse o Fabuloso.

"Ser ídolo igual ao Romário é difícil, mas vou dar o meu máximo, tentar dar alegria. Sempre dei sorte contra time carioca. Fiz 12 contra o Vasco, mas também fiz oito contra o Flamengo, oito contra o Fluminense e sete contra o Botafogo. Chega de sofrer. Agora é só alegria", completou o novo atacante do Cruzmaltino.

No Vasco, Luis Fabiano quer voltar a viver momentos felizes após período difícil na China. O jogador deixa claro que dinheiro não falta ao país, mas que algumas situações inusitadas ainda deixam a desejar.

"Futebol chinês está em uma fase de gastar dinheiro. Não pensam em se reestruturar. O que eu vi foram clubes sem estrutura para montar time. Dinheiro eles têm muito. Falta muito para eles crescerem. O meu time até que tinha uma estrutura legal, mas em termos de diretoria, que é importante, ainda falta muito. Vi coisas que eu não tinha visto, como roupeiro jogar no time B", revelou.

"Esse período na China foi atípico. Ficar esperando por negociação... O clube tinha me comunicado que não deveria contar comigo porque buscaria outros estrangeiros. Achei que ia rescindir e voltar ao Brasil. Se arrastou. Achei que teria que ficar, que seria reintegrado. Tinha uma pessoa que não queria que eu ficasse, mas outras queriam que eu ficasse. Foi um período complicado", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos