Winck agradece apoio e pede oportunidade no Inter: "Quero ficar no A"

Do UOL, em Porto Alegre

O lateral direito Claudio Winck só queria uma chance de provar que pode ser aproveitado pelo Inter. Recebeu nesta quinta-feira e foi fundamental na virada contra o Criciúma, pela Primeira Liga. Depois do 3 a 1 no Heriberto Hulse, ele pediu sequência. 

"Eu estava esperando há muito tempo esta oportunidade. Treinava em Alvorada e esperava esta chance todos os dias. Quando eu menos esperei, ela veio e eu fiz um grande jogo", disse o jogador. 
 
Winck voltou de empréstimo da Chapecoense no começo deste ano. Não esteve no trágico voo da equipe catarinense no fim do ano passado pois estava lesionado. Ganhou uma nova chance do destino e quer abraçar o retorno ao clube que o formou atleta. 
 
Mas não teve melhor sorte. Foi afastado do time principal e passou a treinar com o B, no CT de Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre. Até ser chamado para o jogo diante do Criciúma, numa equipe recheada de garotos, pela Primeira Liga. 
 
Depois de um primeiro tempo apagado, ele arrancou, driblou dois e só parou ao ser derrubado por Nino, do Criciúma. O defensor rival já tinha amarelo e foi expulso. Quatro minutos mais tarde ele recebeu cruzamento, ganhou de cabeça, o goleiro deu rebote e ele mesmo completou para as redes o empate vermelho. Em seguida vieram mais dois gols. 
 
"O mais difícil (quando treinava com o time B) é ter a cabeça no lugar. Uma peça fundamental foi meu pai, que acordava todo dia e me dizia para ter paciência. A chance chegou, aproveitei, quero ficar no A e ter oportunidades", disse. 
 
O Internacional manteve 100% de aproveitamento na competição. Avançou em primeiro e guarda o próximo adversário. Mas a Primeira Liga dá uma parada e só volta a ser disputada em agosto. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos