Independente de Limeira admite interesse no goleiro Bruno: "Portas abertas"

Vanderlei Lima

Do UOL, em São Paulo

  • Hoje em Dia/Futura Press

Time da Série A-3 do Paulistão, o Independente de Limeira está de portas abertas para receber o goleiro Bruno, ex-Flamengo e Atlético-MG, que nesta sexta-feira (24) teve habeas corpus concedido pelo Superior Tribunal Federal (STF) e deixou a prisão às 19h35.

Piá, técnico da equipe, e Anivaldo dos Anjos Filho, investidor e marido da presidente do clube, Fatima Emilia Mattos dos Anjos, afirmaram, em entrevista ao UOL Esporte, que seria um prazer recebê-lo para uma retomada da carreira. 

"A gente queria o Bruno no final do ano passado. Agora, se ele tiver a intenção de treinar com a gente, as portas estão abertas", disse o Dr. Anivaldo Filho. "Sou advogado criminalista, e o código penal brasileiro foi escrito para pessoas. Todo mundo está sujeito a cometer um crime de maior ou menor potencial, mas o importante é que se tenha um sistema em que se recupere a pessoa. E nós não temos. Nosso sistema penitenciário é medieval. Quando você tem uma pessoa que passou por ele e está disposta a trabalhar, você tem que apoiar".

Tanto o investidor como Piá lamentam o fato de a inscrição do Independente para o Paulistão já estar concluída - portanto, o acréscimo de Bruno, de 32 anos, na lista dependeria da saída de um dos três goleiros do time, o que só poderia ocorrer por lesão. 

"Eu pedi a contratação do Bruno antes de começar o campeonato. O problema é que a FPF limita a 28 jogadores inscritos", avaliou Piá, que também já teve problemas com a Justiça e foi preso em mais de uma oportunidade. "Quando eu tive o interesse de trazê-lo, ainda era no início do campeonato. Não resolveu-se a situação a tempo, e agora não tem como porque já foram inscritos os três goleiros", acrescentou o comandante do time. 

"O Independente está de portas abertas para ele. Infelizmente eu já tenho todos os jogadores inscritos, mas para mim seria um prazer recebê-lo", arrematou Anivaldo. 

Caso Bruno

O goleiro Bruno está preso desde 2010, acusado de envolvimento no assassinato de Eliza Samudio. Ele foi condenado em 2013 a 22 anos e 3 meses de prisão, em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver contra a ex-amante, além de sequestro e cárcere privado do filho que ele teve com Eliza.

O jogador recorreu da decisão e estava preso por decisão de primeira instância há quase 7 anos. Na decisão tomada na última terça-feira (21) e publicada nesta sexta pelo Supremo, o ministro Marco Aurélio Mello julgou não haver sustentação jurídica para manutenção do encarceramento. Bruno responderá ao processo em liberdade.

Luciano Guedes, empresário do atleta, falou ao UOL Esporte que espera Bruno sair pelos portões da Apac (Associação de Proteção e Assistência ao Condenado), em Santa Luzia (região metropolitana de Belo Horizonte), para onde foi transferido ano passado, para depois pensar na sequência da carreira do goleiro. 

"A princípio, só o Independente de Limeira mesmo [que procurou o jogador]. A gente teve uma conversa há um tempo com o Villa Nova-MG, mas a coisa não andou. Demonstraram um certo interesse, mas não foi igual ao Independente, que foi mais explícito, mais rápido e mais direto. Tem interesse. disseram: 'Eu quero'".

O advogado Lúcio Adolfo, responsável pela defesa do ex-atleta, disse que o próprio Bruno tomará a decidirá se quer ou não voltar ao futebol. "Sei que tem propostas de trabalho em alguns times de futebol até para jogar campeonatos estaduais por aí e ele vai tomar o caminho que achar melhor. Ele vai se dedicar, está com 30 anos, tem aí um bom período, se conseguir superar as dificuldades do retorno à vida social", afirmou à rádio Estadão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos