Goleiro demitido por comer no banco já teve depressão e era meio-campista

Do UOL, em São Paulo

  • Andrew Couldridge/Reuters

    Shaw é flagrado pelas câmeras comendo a torta durante o jogo

    Shaw é flagrado pelas câmeras comendo a torta durante o jogo

Wayne Shaw, do modesto Sutton United, virou notícia no mundo inteiro esta semana ao aparecer comendo uma torta no banco de reservas durante derrota por 2 a 0 para o Arsenal pela Copa da Inglaterra. Primeiro foi piada; depois, a ligação do ato com uma casa de apostas deixou o caso sério e culminou em sua demissão. O que poucos sabem sobre Shaw é que ele já teve depressão profunda e começou a carreira como meio-campista, mudando de posição por culpa de seu peso.

Shaw, de 46 anos e 120 kg, era o goleiro reserva do Sutton e também o treinador de goleiros. Segundo relatos mais antigos da imprensa inglesa, ele também ajudava a cuidar do gramado do clube e era um dos dois funcionários fixos da equipe. 

O convite para trabalhar no Sutton, inclusive, chegou pouco antes de ele completar 45 anos. Na época, ele estava trabalhando numa sorveteria móvel de seus tios, função que desempenhou por mais de duas décadas, paralelamente ao futebol. Como o Sutton é da quinta divisão, o que ele ganhava com o esporte não era suficiente para pagar suas contas.

"Era algo diferente e eu gostava, mas eu tinha que trabalhar todos os fins de semana e todas as noites de verão", contou ele. Shaw, então, aceitou prontamente o convite do Sutton para poder viver só de futebol, o mesmo esporte que também já havia lhe aplicado um duro golpe.

Foram as frustrações como jogador que o levaram à uma depressão profunda anos atrás. E foi o mesmo Sutton (ele teve três passagens pela equipe) que o tirou dela.

"Foram tempos difíceis. O futebol é feito de altos e baixos e isso te afeta. Provavelmente há muito mais pessoas que têm depressão e não percebem. Eu tentava sair da cama de manhã e era difícil. Cheguei a tomar antidepressivos todos os dias, mas parei assim que fui para o Sutton. É o exercício físico que me salva", descreveu.

Shaw, agora, é alvo de uma investigação das autoridades britânicas por admitir que, ao comer a famosa torta durante o jogo, sabia que uma casa de apostas pagava oito libras para cada uma apostada se isso acontecesse. Ele não sabe se conseguirá voltar ao futebol, mas mudar de função também não será uma novidade.

Antes de cuidar do gramado, de treinar goleiros e de ser goleiro, Shaw era meio-campista. Na base do Southampton, jogou ao lado de Alan Shearer, ex-atacante consagrado na Inglaterra. Seu sobrepeso, no entanto, o fez acumular algumas dispensas até que lhe ofereceram a vaga de goleiro. Ele aceitou e perambulou por times pequenos.

Shaw disse que, apesar de saber da casa de apostas, comeu a torta apenas por diversão. No entanto, o episódio já apelidado de "Piegate" já é uma avalanche na vida do goleiro, com desfecho imprevisível.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos