Criticado por Sampaoli, Ganso optou por se fechar em Sevilla

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

  • Aitor Alcalde Colomer/Getty Images

Paulo Henrique Ganso convive com o ostracismo em Sevilha. Está há dois meses sem entrar em campo, e nem sequer vem fazendo parte da lista de relacionados do time. Criticado pelo treinador Jorge Sampaoli, o brasileiro optou pelo silêncio e a vida tranquila na cidade.

Ganso vive em Sevilha ao lado da mulher Giovana Costi e dos dois filhos, Henrico, de 2 anos, e Stella, recém-nascida. A decisão do jogador foi a de se fechar em casa e só receber outros familiares para visita.

Na chegada ao clube em julho de 2016, um pagamento parcelado de 2 milhões de euros (cerca de R$ 7 milhões) foi efetuado pelo Sevilla para Ganso buscar casa na cidade e ter outros custos cobertos. A escolha da moradia foi rápida. O meia optou por uma casa destinada ao atacante francês Kevin Gameiro - transferido do Sevilla para o Atlético de Madri nesta temporada. O local é em bairro distante do centro.

Ganso teve adaptação rápida em Sevilha  Ganhou credibilidade rápida no clube por conta da capacidade demonstrada com o aprendizado do idioma espanhol, sem fazer aulas.

Só que o trabalho de divulgação de imagem não anima Ganso. O jogador que havia optado por levar um assessor de imprensa para Sevilha, acabou o dispensando pouco após a chegada. De momento, a escolha é a de estar calado, desfrutar a cidade e família, e treinar em busca de uma nova oportunidade.

O que pensa a torcida do Sevilla sobre Ganso?


Críticas de Sampaoli e da imprensa

Poucos toques na bola, erros táticos e três gols do Real Madrid. Paulo Henrique Ganso pagou caro pelos 45 minutos que atuou na derrota do Sevilla por 3 a 0 no Santiago Bernabéu, pelo Copa do Rei, dia 4 de janeiro. O brasileiro foi alvo de críticas pesadas de torcedores e jornalistas e não tem mais espaço no clube. Desde então, acumula dez jogos sem ser relacionado.

"Estamos exigindo muito de Paulo porque foi o que esperávamos quando veio para cá. Hoje é quase uma decisão própria a de não ser relacionado. Quando ele decidir e estiver nos contagiando sobre o que pode dar e o que a equipe necessita, será impossível não ver Ganso entre os relacionados", afirmou Sampaoli.

Ganso sofreu no Sevilla desde o início da passagem em agosto. Quando chegou estava em recuperação de lesão na coxa direita sofrida no São Paulo, e avaliação da comissão técnica do time espanhol era de que a condição física era horrível.

O meia passou a treinar separadamente com o grupo e demorou para atingir o mesmo nível físico dos companheiros. Ao conseguir, o problema passou a ser tático.

"Nos minutos de Ganso em campo todos ficaram boquiabertos. É craque, mas joga em um ritmo particular. Não defende como os outros e não pode ser titular. Ele não consegue atuar de maneira compactada com o time. O Sampaoli valoriza a qualidade do Ganso próximo à área, só que isso não basta", disse o comentarista espanhol da TV "beIN Sports", Toni Padilla.  

Ganso fez 12 jogos na temporada, sendo oito como titular. Encostado no clube, poucos apostam em uma reviravolta.

"Está abandonado. Eu errei com o palpite sobre Ganso, pois achava que se enquadraria no ritmo do Sevilla. Mas é um jogador de ritmo particular, e ninguém está disposto a fazer sacrifícios por ele. Diria que se escolheu ficar no Sevilla, estará sofrendo sem chances", disse o jornalista Jesus Márquez, do Canal Sur, de rádio e televisão de Sevilla.

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos