Özil revela discussão com Mourinho e conta que atirou camisa no técnico

Do UOL, em São Paulo

  • AFP PHOTO / DOMINIQUE FAGET

O alemão Mesut Özil revelou em sua biografia que teve um sério problema com José Mourinho enquanto defendia o Real Madrid entre as temporadas de 2010 e 2013. A discussão com o português que teve até uma camiseta atirada em sua direção foi revelada na biografia que o meia lançará e teve trechos publicados pelo jornal alemão Bild.

O entrevero aconteceu nos vestiários no intervalo de uma partida do Real e Özil contou que o treinador veio em sua direção gritando.

"Você pensa que dois passes bonitos são o suficiente. Você pensa que é tão bom que 50% é o suficiente", disse o português segundo relato do jogador.

"Você vai desistir agora? Você é um covarde. O que você quer fazer. Ir para baixo de um chuveiro quente, colocar xampu no cabelo? Ficar sozinho? Ou você quer provar para seus companheiros, para os torcedores e para mim o que você pode fazer", teria prosseguido Mourinho.

Özil contou que atirou a camisa no treinador e preferiu ir para o chuveiro a seguir jogando e que se arrepende de ter tomado esta atitude.

O alemão deixou o Real em 2013 e se transferiu para o Arsenal, clube no qual está até hoje. No mesmo ano, Mourinho foi para o Chelsea.

Silêncio de Guardiola pesou em escolha do Real Madrid

Apesar dos problemas que teve com Mourinho, Özil conta que o treinador português fez o possível para convencê-lo a assinar com o Real Madrid. Em outro trecho do livro, o meia recorda o período após a Copa do Mundo de 2010, quando o time madrileno e o Barcelona disputavam sua contratação. A preferência do alemão era o clube catalão, mas aos poucos foi se mudando. Um dos responsáveis? O técnico Pep Guardiola, que passou a impressão de indiferença sobre a vinda do jogador.

"Antes eu queria pessoalmente ir para o Barcelona. Estava convencido em ir para lá. Nenhum time no mundo jogava um futebol mais bonito naquele momento. Mas a ausência de Guardiola me deixou com suspeitas", lembrou.

"Quando eu e meu empresário voamos de volta de Barcelona, eu o perguntei repetidamente: 'por que o técnico não estava lá?' A resposta dele era sempre a mesma: 'ele estava de férias'. Guardiola não me ligou nos dias seguintes também. Não mandou nem mensagem de texto. Ele não enviou o sinal que ele queria. A partir disso, meu entusiasmo pelo Barcelona caiu gradativamente", explicou o alemão.

"Por causa do comportamento de Guardiola, eu não quis ir para o Barcelona. Especialmente porque Mourinho lutou tanto ao mesmo tempo. Ele foi muito convincente. Completo oposto do técnico do Barça. Então eu escolhi Mourinho e Real Madrid", concluiu o jogador.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos