Sem Brasil: América do Sul domina artilharia de maiores ligas da Europa

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters, Getty Images, AFP

Há algum tempo a América do Sul está em alta quando o assunto é artilharia no futebol europeu. Mas e o Brasil? Não, os brasileiros não são mais conhecidos como os mais letais atacantes do planeta, como era na época de Romário ou Ronaldo.

Atualmente, quatro dos seis mais importantes campeonatos nacionais da Europa têm artilheiros sul-americanos. Nenhum deles é brasileiro. O argentino Messi lidera na Espanha. Outro argentino, Higuain, divide com dois outros atacantes a ponta na Itália. Na França, o posto é do uruguaio Cavani. Na Inglaterra, o artilheiro é o chileno Sanchez. Só na Alemanha (com o polonês Lewandowski e o gabonês Aubameyang) e em Portugal (com o holandês Bas Dost) nenhum atleta do continente aparece em primeiro lugar.

Espanha: Messi e Suárez brigam por ponta

Alberto Saiz/AP Photo

No campeonato espanhol, só Cristiano Ronaldo pode tirar a artilharia de um sul-americano. O português é o terceiro da lista, com 18 gols, mas já está quatro atrás do argentino Lionel Messi. Na vice-liderança aparece o uruguaio Luis Suárez, com 19 gols.

O melhor brasileiro na lista é Willian José, da Real Sociedad, nono colocado, com nove gols. Neymar, companheiro de Messi e Suárez, marcou sete vezes na temporada.

Inglaterra: Sanchez contra centroavantes
AFP PHOTO / Odd ANDERSEN

Na Inglaterra o cenário também não é positivo. O jogador que mais gols marcou na temporada é do Chile: Alexis Sanchez, do Arsenal, já balançou as redes 17 vezes. Ele lidera a artilharia ao lado do belga Romelu Lukaku (Everton) e do inglês Harry Kane (Tottenham), dois centroavantes típicos – Sanchez está jogando pela primeira vez no Arsenal no centro do ataque.

Entre os brasileiros, quem aparece com mais gols é Roberto Firmino, do Liverpool, com oito. Diego Costa, que nasceu no Sergipe mas defende a Espanha, marcou mais: foram 16 gols pelo Chelsea.

Itália: amor pelos atacantes argentinos
Alessandro Di Marco/ANSA via AP

O caso mais emblemático é a Itália. No país em que Ronaldo se tornou fenômeno, a preferência é por atacantes argentinos. Gonzalo Higuain, artilheiro da Itália na temporada passada atuando pelo Napoli, segue balançando as redes, agora pela Juventus. Já foram 19 até agora, o mesmo número que o bósnio Edin Dzeko (Roma) e o italiano Andrea Belotti (Torino). Entre os dez maiores marcados do torneio, porém, três são argentinos. Além de Higuain, Mauro Icardi (Inter de Milão) aparece em quarto lugar na lista, com 16 gols, e Giovanni Simeone (Genoa), com 10 gols, aparece na nona posição (ao lado de outros quatro jogadores).

Por lá, o Brasil está tão em baixa quando o assunto é atacante que o primeiro brasileiro na lista só chega na 53ª posição: Diego Farias, do Cagliari, com quatro gols. O jogador nasceu no interior de São Paulo e foi para a Itália com apenas 15 anos para jogar no Chievo.

França: Cavani aproveita ausência de Ibra
Gonzalo Fuentes/Reteurs

Na Ligue 1, quem manda é o uruguaio Edinson Cavani. O atacante assumiu o posto de centroavante do PSG com a saída do sueco Zlatan Ibrahimovic e lidera desde o início da temporada a tabela de artilheiros da competição. Ele soma 26 gols no torneio – o segundo colocado é o francês Alexandre Lacazette.

Também do PSG, o ex-São Paulo Lucas Moura é o brasileiro com mais gols na competição, com nove gols – ele é o nono maior artilheiro do Francês na temporada.

Alemanha não tem sul-americanos na ponta

A Alemanha é o único país dentro das seis mais importantes ligas da Europa em que os atacantes sul-americanos não têm predominância. O polonês Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, e o gabonês Pierre Aubameyang, do Borussia Dortmund, dividem a liderança da tabela com 19 gols. O primeiro sul-americano a aparecer na lista é o brasileiro Raffael, do Borussia Monchengladbach, na 19ª posição (ao lado de outros dez jogadores), com cinco gols.

O irônico é que a Bundesliga sempre foi aberta aos atacantes da América do Sul. Desde o ano 2000, por exemplo, foram quatro artilheiros do continente, todos brasileiros. Em 2002, o artilheiro foi Amoroso, pelo Borussia Dortmund. Em 2003, foi a vez de Elber, pelo Bayern de Munique. Em 2004, o artilheiro foi Ailton, do Werder Bremen. O último foi Grafite, em 2009, pelo Wolfsburg.

Portugal: mais brasileiros no top-10
AFP PHOTO / MIGUEL RIOPA
Brasileiro Tiquinho Soares (à direita) celebra gol pelo Porto

O Campeonato Português é o mais "amigável" aos brasileiros atualmente. São três entre os dez primeiros, com Tiquinho Soares, hoje no Porto, em quarto lugar, com 12 gols, Welthon, do Paços Ferreira, em sexto, com 11 gols, e Platiny, do Feirense, empatado na décima posição, com seis gols.

A artilharia, porém, parece já definida: o holandês Bas Dost, do Sporting, lidera com 18 gols, seis a mais do que os dois vice-líderes, o português André Silva, do Porto, e o grego Konstantinos Mitroglu, do Benfica.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos