Jadson desafia "maldição do retorno" no Corinthians; relembre casos

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Rodrigo Gazzanel / Agência Corinthians

    Jadson voltou ao Corinthians depois de uma temporada na China

    Jadson voltou ao Corinthians depois de uma temporada na China

Jadson voltou a defender o Corinthians nesta quarta-feira à noite durante a partida contra o Brusque, pela Copa do Brasil. O meio-campista esteve em campo por 35 minutos depois de ficar meses sem atuar. No fim, desperdiçou um pênalti e viu, apesar disso, o time corintiano eliminar o adversário.

Neste sábado, Jadson deve ganhar nova chance no time do técnico Fábio Carille. Os desafios do jogador não se restringem apenas à partida diante do Santos em Itaquera. O camisa 77 terá de inverter uma tendência no Corinthians: ídolos que voltam ao clube enfrentam dificuldades para brilhar novamente.

A lista é extensa: vai de Luizinho, na década de 1960, a Marcelinho Carioca, em 2006. Ricardinho, Rincón, Neto, Wladimir e, mais recentemente, Cristian não conseguiram repetir as atuações da primeira passagem.

Vampeta, por sua vez, até brilhou novamente após voltar ao Parque São Jorge em 2002 e chegou a ser campeão mais três vezes. O ex-volante, entretanto, retornou ao clube em 2007, jogou pouco e fez parte do time que foi rebaixado no fim daquele ano.

Os companheiros de Vampeta no fim da década de 1990 não tiveram o mesmo êxito no primeiro retorno. Ricardinho, que deixou o Corinthians em 2002, assinou contrato de dois anos em janeiro de 2006, aos 29 anos. Disputou 16 jogos e marcou apenas dois gols.

Marcelinho acertou o retorno na mesma época e também com vínculo de dois anos - era a terceira passagem, já que o atleta vestiu a camisa do Valencia-ESP no segundo semestre de 1997. O meio-campista tinha 35 anos e pouco foi aproveitado pelos técnicos Geninho e Leão. Depois de um desentendimento com Mascherano, ele deixou o clube após cinco jogos disputados e nenhum gol marcado.

Já Rincón foi contratado pelo Corinthians quatro anos depois de deixar o clube rumo ao Santos. Já com 37 anos, o colombiano só entrou em campo 14 vezes em cinco meses, com apenas um gol marcado.

Outro lado da moeda

A história corintiana também traz casos em que os jogadores voltaram a se destacar após retornar ao clube. O fato ocorreu com Dinei, campeão brasileiro em 1990, 1998 e 1999, Elias e Douglas - a dupla também conseguiu ser campeã na 2ª passagem. 

Casagrande marcou gols após a volta ao Corinthians, no começo de 1994. A segunda passagem, porém, durou apenas um ano. O ex-atacante entrou em campo 34 vezes e balançou a rede em dez oportunidades - ele não conseguiu ser campeão, mas ultrapassou a marca de 100 gols pelo clube.

Jadson acertou um contrato de dois anos com o Corinthians após ficar um ano na China. Na primeira passagem pelo time corintiano, o meia de 33 anos foi um dos destaques da equipe campeã brasileira - ele disputou 103 jogos, com 24 gols marcados e 38 assistências.

Confira três casos emblemáticos do clube

Neto 
Deixou o clube após 206 jogos em julho de 1993 
Voltou em novembro de 1996, aos 30 anos
Jogou até novembro de 1997, disputou 22 jogos e fez um gol
 
Wladimir 
Deixou o clube após 794 jogos em novembro de 1985
Voltou em setembro de 1987, aos 33 anos
Jogou até dezembro de 1987, disputou 9 jogos e não fez gols
 
Luizinho 
Deixou o clube após 554 jogos no fim de 1960 
Voltou em junho de 1964, aos 34 anos
Jogou até setembro de 1967, disputou 51 jogos e fez três gols
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos