Nova maratona à vista: Cruzeiro viajará três vezes mais em março

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Cristiane Mattos/Light Press/Cruzeiro

    Vai desgastar: por terra ou ar, time fará quatro jogos longe de casa no mês de março

    Vai desgastar: por terra ou ar, time fará quatro jogos longe de casa no mês de março

A folga do Carnaval mal acabou e o Cruzeiro já iniciou uma nova maratona de jogos em março. Nesta terceiro mês do ano, a equipe novamente fará oito jogos em 24 dias, mas, diferente do que aconteceu em fevereiro, terá que percorrer uma distância mais de três vezes superior. Compromissos fora de casa na Copa do Brasil e Primeira Liga podem exigir ainda mais da recuperação dos atletas e forçar Mano Menezes a seguir com o esquema de rodízio de jogadores.

"Isso é importante por vários motivos. Primeiro, pela recuperação física dos atletas, vamos precisar de todos, é muito difícil alguém jogar todas essas partidas. Além disso, dará mais confiança para todos aqui no grupo, onze jogadores apenas não ganham títulos. Nosso grupo é forte e sabemos da competência de cada um. Já saiu de moda aquela questão de time titular e reserva. Todos são importantes", comentou o goleiro Rafael.

Contando a estreia da temporada, no final de janeiro, até a pausa para o Carnaval, o Cruzeiro entrou em campo por nove vezes, com intervalos de no máximo três dias de descanso entre cada um dos duelos. A maratona já no início do ano foi tão grande que igualou os períodos com mais compromissos do clube em todo o ano de 2016. Porém, no mês passado, o clube contou com uma ajuda da tabela e só saiu de Belo Horizonte em três partidas, viajando 1.114 km em partidas fora de casa (Juiz de Fora, Volta Redonda e Patos de Minas). Desta vez, a delegação terá que viajar um pouco mais e a distância a ser percorrida saindo da capital mineira será até 3,6 vezes maior.

O primeiro desafio do mês começou na última quinta-feira, contra a Caldense, pelo Campeonato Mineiro. A partir de agora, o Cruzeiro sairá de BH para enfrentar o América em Teófilo Otoni, a 447 km da capital mineira. Na semana seguinte, a viagem será ainda mais longe para visitar o Murici, pela Copa do Brasil. O jogo de ida será disputado no estado do Alagoas, a pelo menos 1.919 km de distância. Após a partida da volta e outros dois jogos em Minas Gerais contra o América-MG e Tombense, a equipe voltará a sofrer com o desgaste no final do mês. A Raposa pegará o Joinville (1.111km) pela Primeira Liga, no dia 21, e o Uberlândia (540km), dia 26, pelo estadual. Na somatória como visitante, serão 4.018 km percorridos somente em trajetos de Belo Horizonte até o destino.

Apesar de já ter o esqueleto da equipe titular montado, o técnico Mano Menezes poderá aproveitar as oportunidades para testar novos jogadores. Neste início de ano, alguns atletas chamaram atenção quando entraram em campo, mas não são considerados titulares devido à alta concorrência no setor. São os casos de Mayke, Lucas Romero e dos recém-contratados Caicedo, Hudson e Lucas Silva. Em breve, o treinador ainda ganhará o retorno de dois pilares: o goleiro Fábio e o zagueiro Dedé.

"Todo mundo está bem, isso é inevitável. Talvez não mude o time, mas mude peças. Não somos máquinas, jogar a cada três dias não tem como. Você vai jogar a primeira partida a 100%, a segunda a 90%, a terceira a 80%. Chega um momento que você não rende bem por causa do desgaste", comentou Rafael Sóbis.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos