Conselho rejeita denúncias e aprova Leila Pereira como conselheira

Danilo Lavieri e José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Cesar Greco/Fotoarena

    Leila Pereira terá um mandato de quatro anos dentro do Conselho do Palmeiras

    Leila Pereira terá um mandato de quatro anos dentro do Conselho do Palmeiras

Leila Pereira, a partir desta noite de segunda-feira, assumiu definitivamente um cargo no Conselho Deliberativo do Palmeiras. Em votação ocorrida na sede do clube, em São Paulo, os conselheiros ignoraram os pedidos de impugnação e deram um parecer favorável à proprietária da Crefisa para assumir o cargo pelos próximos quatro anos.

A votação sobre o caso Leila ocorreu por aclamação. A maioria absoluta dos conselheiros presentes rejeitaram as denúncias contra a eleição da empresária e mantiveram o resultado do pleito anterior, no qual a dona do grupo Crefisa/FAM recebeu 248 votos pela chapa Palmeiras Forte.

Dos 228 conselheiros presentes no evento desta segunda-feira, apenas 25 aceitaram os pedidos contra a eleição de Leila para o Conselho Deliberativo.

Polêmicas desde a candidatura

A polêmica cresceu no último dia do mandato de Paulo Nobre. O antecessor na cadeia mais importante da diretoria palmeirense publicou uma resolução a fim de vetar a então candidatura da empresária para o Conselho Deliberativo.

Leila Pereira chegou a declarar em entrevista ao Diário de S. Paulo que não tinha tempo suficiente como sócia do clube para poder se candidatar ao Conselho do Palmeiras.

Alguns meses depois, no entanto, alegou ter recebido o título de sócia em 1996 das mãos do então presidente e hoje poderoso conselheiro Mustafá Contursi; o ex-mandatário, aliás, tornou-se um dos principais incentivadores da entrada da empresária no dia a dia do clube.

Não há provas contra o documento, tampouco que comprovem a veracidade. Por isso, o caso foi levado à votação do Conselho Deliberativo na noite desta segunda-feira.

Com base neste documento, sete associados do Palmeiras questionaram a candidatura da proprietária da Crefisa ainda em janeiro. A decisão, contudo, veio apenas nesta segunda-feira, já com Leila eleita para o grupo.

O principal plano de Leila Pereira é, no futuro, assumir o cargo de mandatária do clube, embora ela não confirme isso publicamente. São necessários dois mandatos no Conselho para viabilizar a candidatura à presidência.

O episódio deflagrou uma das principais crises políticas da história recente do Palmeiras e colocou Maurício Galiotte, atual presidente, e Paulo Nobre, seu antecessor, em lados opostos na bancada alviverde.

Cleo Velleda/Folhapress
Seraphim Del Grande é o novo presidente do CD

Situação sai ainda mais forte

Fora a confirmação de Leila Pereira como conselheira, o grupo de situação - ligado ao presidente Maurício Galiotte - obteve mais duas vitórias na noite desta segunda-feira.

Com 151 votos, ampla maioria dos mais de 250 presentes, Seraphim Del Grande venceu a eleição para a presidência do Conselho Deliberativo. Carlos Faedo, também ligado a Galiotte, venceu o pleito de vice, com 110. 

As duas vitórias ratificam a força da situação na política do Palmeiras e também de Mustafá Contursi. O ex-presidente possui Del Grande e Faedo dentro do seu grupo político.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos