Atlético-PR fala em "3 planos" para acomodar Liga de Vôlei e Libertadores

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em Curitiba (PR)

  • Divulgação/Clube Atlético Paranaense

Em coletiva na tarde desta quinta-feira (9), o Atlético anunciou os planos para que a Arena da Baixada receba a fase final da Liga Mundial de Vôlei. O acordo já está firmado com a FIVB (Federação Internacional de Volleyball) e o estádio ficará à disposição para o evento entre 24 de junho e 11 de julho, o que irá tirar o Furacão de casa ao menos para o duelo contra o Vitória, pela 10a rodada do Brasileirão, no dia 25.

A dúvida - e maior pressão da torcida - é quanto à possibilidade do time também se ver obrigado a jogar fora de casa na fase de oitavas de final da Copa Libertadores. Se avançar na competição, e a vaga for obtida na segunda colocação, a Conmebol prevê que os duelos de ida, com mando dos segundos colocados, serão entre 4 e 8 de julho, durante a Liga Mundial.

"Cada agonia na sua hora", respondeu o presidente Luiz Sallim Emed. A reportagem do UOL Esporte considerou algumas possibilidades em contato telefônico com ele. A primeira, um pedido junto à Conmebol para o adiamento do jogo; a segunda, a possibilidade de que a possível partida seja disputada em um dos estádios dos rivais Coritiba ou Paraná.

"Aprendemos com o episódio do Bocelli e não vamos deixar para cima da hora. Mas agora não estamos discutindo isso", respondeu Sallim. "É certo que haverá alguma chiadeira, então vamos com calma. Na hora certa iremos tomar a melhor decisão para o clube". O episódio citado foi o show do cantor italiano Andrea Bocelli, cuja montagem do palco tirou o Atletiba do segundo turno do Brasileirão 2016 da Baixada, revoltando os sócios, uma vez que foi disputado na Vila Capanema, estádio com capacidade inferior ao número de sócios atual do clube (cerca de 20

Mil). Na época, os ingressos foram majorados para a torcida do Coritiba, que boicotou o evento e optou pela transmissão em um telão no Couto Pereira. Os atleticanos também mostraram descontentamento com a decisão e apenas pouco mais de 6 mil assistiam a vitória do time por 2 a 0 sobre o rival.

O Couto Pereira também é uma alternativa. A boa relação entre as diretorias dos clubes pode levar essa eventual partida para o estádio do Coritiba, uma vez que a exigência de capacidade mínima de 40 mil lugares é apenas para a decisão. Em 2015, por conta do aluguel da Arena para o show do britânico Rod Stewart, o Furacão jogou com o Grêmio no estádio coxa-branca. Perdeu por 2 a 1.

Ainda na coletiva, Sallim prometeu uma solução em tempo hábil: "Vamos ter três meses até o dia dos jogos e, neste período, a gente vai encontrar alternativas A, B e C nesses planos para poder encontrar uma alternativa."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos