Não foi só contra o PSG! Como Neymar ganhou papel de liderança no Barça

João Henrique Marques

Do UOL, em Barcelona

Os minutos finais de Neymar na classificação heroica do Barcelona às quartas de final da Liga dos Campeões são reflexo de uma liderança consolidada nesta temporada. O brasileiro agora tem voz de comando tático orientando jogadores e sobram conselhos até para o argentino Lionel Messi, com quem tem grande intimidade em campo

Não à toa, Neymar estava sozinho na cobrança da falta do quarto gol do Barcelona ou pegou a bola para bater o pênalti do 5 a 1 sem consultar nenhum jogador. A liderança do brasileiro já é real e foi adquirida na bola.

"No Barcelona não é fácil para um estrangeiro liderar. Veja que mesmo na era Messi temos líderes ainda maiores como Puyol, Xavi, Iniesta, Piqué, todos com identidade no clube. O Neymar atingiu um processo natural pela capacidade que tem. Com o passar do tempo, será cada vez mais uma voz ativa no clube", destacou Roger Torrelo, repórter do jornal catalão Mundo Deportivo

A evolução da liderança

Na primeira temporada pelo Barcelona (2013-2014), Neymar não levantou a voz. Aguentou calado o banco de reservas em algumas partidas, assim como o posicionamento de centroavante que tanto desgosta.

Na temporada seguinte, veio o claro sinal de que ainda não tinha o respeito suficiente para liderar o elenco. Neymar era sucesso em campo, terminando como artilheiro da Liga dos Campeões e da Copa do Rei, mas sem moral para evitar as constantes substituições. Após se revoltar com o treinador Luis Enrique ao sair de campo em um jogo contra o Sevilla, foi apreendido por Xavi e Piqué em uma conversa de vestiário. O pedido era para evitar o comportamento em respeito ao atacante Pedro, que constantemente o substituía.

Neymar se ambientou ao papel de líder na temporada passada, quando ficou dois meses atuando sem Messi, lesionado, ao lado. O brasileiro mudou o posicionamento no campo atuando do centro para a esquerda, e passou a cobrar todas as faltas e pênaltis. A maturidade adquiria o credenciou para ter voz ativa no vestiário após o retorno do argentino.

Abusado, Neymar passou a provocar cada vez mais os adversários e dar ordens aos companheiros em campo. Descontrolado durante a derrota para o Valencia por 2 a 1, em abril do ano passado, no Camp Nou, pelo Campeonato Espanhol, chegou a xingar o lateral esquerdo do Barça, Jordi Alba: "Algum problema comigo? Então vai tomar no c...", esbravejou o brasileiro

Com o passar do tempo, Neymar passou a dividir cobranças de pênaltis e faltas com o argentino. E em fevereiro deste ano, na vitória contra o Athletic de Bilbao, por 3 a 0, pelo Campeonato Espanhol, no Camp Nou, a televisão catalã TV3 exibiu uma imagem em que o brasileiro diz a Messi como uma cobrança de falta lateral deve ser executada. "Bate você de forma direta". O camisa 10 segue o conselho e marca o gol improvável.

Fora de campo, Neymar se diferencia de líderes como Piqué e Iniesta por pouco abordar aspectos pessoais dos jogadores ou manter relacionamento com a cúpula do Barça. É na bola seu maior respeito.

"A  liderança em campo do Neymar já era óbvia há algum tempo. Ele é jogador que gosta da bola o tempo todo. E passou a se impor em momentos capitais, como contra o PSG. Agora todos perceberam que o Barcelona tem outro líder", comentou Bruno Alemany, repórter da rádio espanhola Cadena Ser.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos