Caxumba, corte na orelha... R. Oliveira desafia 'bruxa' para fazer o 1º gol

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/ Santos FC

    Ricardo Oliveira não fez gol em 2017, mas só defendeu o Santos em 3 jogos

    Ricardo Oliveira não fez gol em 2017, mas só defendeu o Santos em 3 jogos

O atacante Ricardo Oliveira ainda não balançou as redes nesta temporada. No entanto, o jejum do centroavante não é nada absurdo. Isso porque o capitão santista só esteve em campo em três oportunidades neste ano – Ferroviária, Botafogo-SP e Sporting Cristal.

Somando o amistoso contra o Kenitra, do Marrocos, em janeiro, o Santos disputou nove partidas nesta temporada. Ricardo Oliveira desfalcou o time em seis delas e por lesões inusitadas – caxumba e corte na orelha. Agora, o camisa 9 quer espantar a 'bruxa' para fazer o seu primeiro gol em 2017.

"São forças maiores que não podemos controlar, mas agora estou recuperado. Espero que as lesões me respeitem e que possa ajudar o time. O acidente da orelha foi um corte profundo, a caxumba. São coisas que acontecem. Espero que nada mais aconteça", afirmou Ricardo Oliveira em entrevista ao Fox Sports.

No total, Ricardo Oliveira ficou quase um mês no departamento médico. Foram 15 dias para se recuperar da caxumba e ser liberado para treinar no gramado. A estreia nesta temporada ocorreu apenas no dia 2 de fevereiro, diante da Ferroviária. Depois, o centroavante ficou mais dez dias fora para se recuperar do corte na orelha.

Além de espantar a 'bruxa' das lesões, Ricardo Oliveira pede que o Santos melhore o "último passe" para o gol.

"Acho que foi um grande resultado para nós. Não jogamos mal, mas não tivemos efetividade na hora do último passe. Tentamos algumas jogadas, eles pressionavam. Faltou aquele último passe. No segundo tempo as coisas aconteceram. Foi um resultado positivo. Tivemos chance de fazer o segundo gol. Libertadores é isso. Me deixa satisfeito ter mostrado outra faceta no segundo tempo", disse.

No jogo contra o Sporting Cristal na última quinta-feira, no Peru, o atacante teve duas oportunidades – uma ele marcou o gol após trombada do zagueiro David Braz com o goleiro adversário, mas o árbitro marcou falta do defensor no goleiro.

Em outro lance, Ricardo Oliveira recebeu um lançamento perfeito de Lucas Lima e chutou cruzado de perna esquerda, obrigando o goleiro peruano a fazer uma grande defesa.

Em 2016, o capitão santista também sofreu com lesões musculares e no joelho, mas se recuperou a tempo de brilhar em campo. Mesmo sentindo dores no joelho, ele jogou a final do Campeonato Paulista, diante do Audax, no sacrifício, e marcou o gol do título, com direito a arrancada do meio-campo com a bola.

Além disso, o camisa 9 terminou o Campeonato Brasileiro como o artilheiro do Santos na competição, com onze gols, superando Vitor Bueno, que marcou dez gols. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos