Slogan de Leco na eleição do SP não leva em consideração gestão anterior

Eduardo Ohata, José Eduardo Martins e Ricardo Perrone

Do UOL, em São Paulo

  • Twitter do São Paulo

    O presidente Leco e a camisa do São Paulo

    O presidente Leco e a camisa do São Paulo

O São Paulo não errou ao dizer que o marketing alcançou uma verba de aproximadamente R$ 35 milhões de patrocínios com o uniforme da equipe em 2016, como acusa a oposição. Porém, o slogan que o atual presidente e candidato à reeleição, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, usa não é 100% fiel aos fatos. Em sua campanha, o dirigente afirma que a sua gestão conseguiu fazer o clube sair do zero para 35, em alusão à falta de patrocínios no uniforme do time nos anos anteriores para a verba obtida com a camisa da equipe.

A reportagem do UOL Esporte teve acesso a contratos de marketing, aos números do departamento e à parte do balanço do clube de 2016 que será publicado em maio. Mesmo com a entrada das empresas Prevent Senior, Fiap, Joli, Tim, Corr Plastik, Rock & Ribs, do uso de patrocínios pontuais para camisa e uniforme em algumas partidas, como, por exemplo, com a Copa Airlines e a Votomassa, e de outras ações de marketing, o departamento faturou cerca de R$ 16 milhões. Por isso, para contabilizar os R$ 35 milhões no balanço de 2016 é necessário contar com a verba da Under Armour, como três pessoas ligadas à situação confirmaram para a reportagem.

No entanto, o contrato com a fornecedora de material esportivo, que também cede equipamentos e tem direito a outras prioridades e ações de marketing de ativação, foi assinado em 2014, na gestão de Carlos Miguel Aidar, que renunciou ao cargo em outubro de 2015. Desta maneira, a maior parte da verba arrecadada ainda é herança da gestão anterior. No balanço de 2015, por exemplo, o clube recebeu R$ 19,9 milhões de publicidade e patrocínio, sendo quase toda essa verba proveniente da Under Armour - o time não tinha patrocinador naquela temporada. 

Segundo o contrato do São Paulo com a Under Armour, ainda estava prevista exclusividade da marca com o clube nos três primeiros anos - nesta temporada a empresa assinou com o Fluminense. Também ficava sob responsabilidade da empresa a fiscalização contra a pirataria de uniformes.

Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o São Paulo confirmou a utilização da verba da Under Armour como parte arrecadada com patrocínios no balanço - porém o clube informa que a receita referente à fornecedora de material esportiva é muito inferior aos R$ 19 milhões, sendo que os recebíveis da Under Armour também entram no licenciamento e outros pontos do balanço.

Por meio de assessoria de imprensa, o clube reafirma que o número alcançado com patrocínios na camisa na gestão saiu de R$ 0 para R$ 35 milhões. No entanto, segundo apurou a reportagem por meio dos documentos a que teve acesso, esse número só pode ficar próximo ser alcançado se somados os contratos em sua totalidade (alguns começaram a ter validade em 2016 e ainda estão em vigor, sendo que há parcelas ainda a serem pagas).

Para a temporada 2017, o São Paulo prevê como meta orçamentária para o marketing R$ 44 milhões. Neste ano, o time conta também com o patrocínio do banco Intermedium, de Poty e Urbano. A eleição para a presidência do São Paulo será na segunda quinzena de abril. Leco vai concorrer com José Eduardo Mesquita Pimenta.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos