TAS nega pedido de anulação de suspensão de Blatter do futebol por 6 anos

Do UOL, em São Paulo

  • REUTERS/Pierre Albouy

    Ex-presidente da Fifa recorreu a tribunal em agosto para tentar anular punição

    Ex-presidente da Fifa recorreu a tribunal em agosto para tentar anular punição

O Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) considerou o ex-presidente da Fifa Sepp Blatter como imprudente por pagar US$ 2 milhões a Michel Platini em uma transação que resultou no banimento do futebol mundial. Após uma audiência em agosto, o TAS negou a apelação de Blatter para ter sua exclusão do esporte por seis anos revertida.

"O painel considera a conduta do Sr. Blatter imprudente, ou pelo menos profundamente descuidado, quando ele aprovou o pagamento sem checar o contrato escrito, sem pedir aos seus empregados pela checagem do contrato ou qualquer tipo de veficação", diz o texto do veredito de 68 páginas publicado pelo TAS nesta segunda-feira (13).

Blatter também burlou o comitê executivo da Fifa para prolongar o plano de pensão de Platini por quatro anos, o que resultou em mais de US$ 1 milhão colocados no fundo de aposentadoria do dirigente ex-jogador francês, uma movimentação ilegal.

"O crédito dado ao Sr. Platini foi, portanto, certamente um presente, já que ele não tinha direito a tal crédito", concluíram os juízes do tribunal. Eles também consideraram a suspensão de Blatter do futebol por seis anos "sensata e justa", não "desproporcional", como ex-dirigente argumentava.

O painel do tribunal considerou também que os padrões de conduta ética da Fifa não só devem ser aplicados igualmente ao presidente da Fifa, como até de forma mais rigorosa a ele do que a outros membros da entidade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos