STJD atende CBF e abre processo contra Inter por falsificação: "Represália"

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • AFP PHOTO / Heuler Andrey

    Victor Ramos ainda dá trabalho ao Vitória, Internacional e CBF em julgamentos

    Victor Ramos ainda dá trabalho ao Vitória, Internacional e CBF em julgamentos

O STJD acatou pedido da CBF e abriu inquérito contra o Internacional pela suposta falsificação de documentos utilizados no 'caso Victor Ramos'. O processo ainda não tem data para julgamento e está sendo relatado pelo auditor Mauro Marcelo. O clube, através de seu vice jurídico, considera a demanda uma represália. 

O processo teve início em fevereiro. Depois do Internacional ter procurado a Corte Arbitral do Esporte (CAS) para tentar resolver o caso da inscrição irregular de Victor Ramos em um âmbito superior ao STJD e a CBF. Já que o tribunal brasileiro arquivou o processo. Por isso, Gustavo Juchem, vice jurídico do clube, vê com desconfiança o andamento do caso. 
 
"Esta alegada falsificação não ocorreu. Isso está claro e evidente. Que este inquérito para apurar a falsificação e sua autoria foram represália e pressão ao Inter para que não desse andamento ao caso na Suíça. Assim que tivemos ciência da abertura deste inquérito, em dois ou três de fevereiro, depois de a CBF e as demais partes tiveram ciência do CAS, fizemos uma notícia de infração contra o diretor de registros da CBF (Reyaldo Buzzoni) porque mentiu. Há correspondências entre ele e o Vitória atestando que a inscrição não poderia ser feita desta forma. A procuradoria arquivou. Investiga o Inter e não investiga o diretor", disse Juchem à Rádio Guaíba. 
 
Além disso, o clube gaúcho também contesta a nomeação de Mauro Marcelo como relator do processo. Ele foi indicado ao cargo no STJD pela CBF. E a entidade é parte interessada do julgamento sobre falsificação. "Alegamos a suspeição dele, não foi acolhido até agora", lamentou o dirigente do Inter. 
 
O processo está em fase inicial. Neste momento o relator está ouvindo partes e unindo argumentos para dar andamento ao caso. E o Colorado não tem gostado da forma que as coisas estão ocorrendo. 
 
"Nos incomoda a forma com que isso vem sendo tratado. Até pela desigualdade. O Inter não tem acesso a nada, e Vitória e os demais interessados tem. Mas temos tranquilidade porque temos a lei e a verdade dos fatos do nosso lado", finalizou Juchem. 
 

Caso Victor Ramos

 
Conforme informou a reportagem do UOL Esporte na semana passada, o Internacional trabalha para antecipar o julgamento do caso Victor Ramos no CAS. A primeira data apresentada pela Corte foi 25 de abril, mas o clube vermelho não quis pois teria pouco tempo para se preparar para Série A, caso ganhe a causa. Solicita a antecipação e aguarda o calendário oficial. 
 
As datas previstas hoje estão entre dia 27 deste mês - quando acaba o prazo de explicações da CBF - e o fim de abril. Internacional, CBF, STJD e Vitória darão suas versões para o caso, que será julgado por três árbitros, um italiano, um israelense e um português. 
 
O Internacional considera a inscrição do atleta Victor Ramos, que atuou no Vitória em 2016, irregular por ela ter ocorrido fora do período de transferências internacionais e o atleta estar ligado ao Monterrey, do México. Sob a ótica do Vitória e da CBF, a negociação não configura uma transferência internacional pois o atleta esteve emprestado ao Palmeiras e foi repassado ao Vitória sem que sua documentação retornasse ao país do clube de origem. 
 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos