Vitória contra o Palmeiras valerá um mês de paz a Dorival no Santos

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

  • Ivan Storti/Santos FC

    Dorival Júnior sofreu pressão, mas se recuperou nos últimos três jogos do Santos

    Dorival Júnior sofreu pressão, mas se recuperou nos últimos três jogos do Santos

A vitória por 2 a 0 diante do The Strongest, da Bolívia, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da Copa Libertadores da América, rendeu ao Santos bem mais do que a liderança isolada do Grupo 2 da competição sul-americana.

A equipe e o técnico Dorival Júnior ganharão ao menos um mês de tranquilidade após turbulências envolvendo, inclusive, a permanência do treinador. Tudo porque o próximo confronto só ocorre em 19 de abril, contra o Santa Fe, na Colômbia. 

A vida do treinador pode melhorar ainda mais em caso de vitória no clássico. Os santistas recebem o Palmeiras no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), novamente em seu estádio, e esperam, enfim, conseguir figurar entre os dois classificados de seu grupo também no Campeonato Paulista.

Para isso, precisam vencer os rivais e contar com um tropeço de Ponte Preta ou Mirassol, que tem 15 e 14 pontos, respectivamente. Se somar os três pontos, basta que um dos rivais empatem para já serem ultrapassados. O Santos tem 13 pontos. 

"Voltamos a ter foco total no Paulista, que era na semana anterior a nossa preocupação. Os pontos que deixamos atrás podem ter um peso e temos que correr para que recuperemos os pontos que ficaram. Paulista é importante, não deixa de ser, sempre foi muito disputado. Continuamos pensando no campeonato, sim, e vamos à luta por uma das duas vagas. Temos certeza que, se tivermos méritos, iremos buscar pelo espírito de recuperação que estou sentindo", afirmou Dorival.

"Palmeiras e Santos têm sido um grande clássico. Espero que joguemos partida com respeito, assim como hoje. Que as situações se decidam em campo e não como em partidas anteriores, que muitas coisas foram faladas. São grandes equipes e temos oportunidade de um grande jogo", completou.

Dorival sofreu um período de instabilidade devido a uma longa série negativa neste início de temporada. Contabilizando o empate por 1 a 1 diante do Sporting Cristal, pela estreia na Libertadores, o treinador só venceu um de uma sequência de seis jogos. Além disso, perdeu os dois clássicos que disputou: 3 a 1 para o São Paulo e 1 a 0 para o Corinthians.

A dificuldade fez, inclusive, a cúpula santista estudar possíveis nomes como o de Levir Culpi, atualmente desempregado. O desafogo foi a goleada sobre o São Bernardo por 4 a 1, no ABC Paulista, mesmo atuando com uma equipe recheada de reservas. No jogo, o atacante Bruno Henrique, um dos questionados, marcou três gols. 

Voltando a figurar entre os próximos classificados, Dorival volta a encontrar tranquilidade para trabalhar.

Na sequência, o Santos visita São Bento e Santo André, duas das piores campanhas do Paulista. A participação na primeira fase será encerrada contra o Novorizontino, dentro de casa, no próximo dia 29.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos