Na Turquia, Vágner Love está perto de seu melhor campeonato em dez anos

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução/Facebook

    Love na chegada à Turquia

    Love na chegada à Turquia

Vágner Love está vivendo mais um renascimento na carreira. Aos 32 anos, o jogador revelado pelo Palmeiras e campeão brasileiro pelo Corinthians está a apenas dois gols de confirmar o seu melhor desempenho em um campeonato nacional desde a temporada 2007/2008.

Tudo graças a três meses em 2017 quase perfeitos. Em nove partidas pelo Alanyaspor, foram oito gols (além de duas assistências). Com isso, ele chegou a 13 gols, assumindo a vice-liderança isolada da artilharia do torneio – o maior goleador do torneio é o turco Cenk Tosun, com 16 gols.

Nos últimos dez anos, poucas vezes Love foi tão artilheiro. Seu recorde de gols é da temporada 2007/2008, quando defendia o CSKA de Moscou: foram 20 gols em 26 jogos no Campeonato Russo. Desde então, porém, os números caíram.

Em Campeonatos Nacionais, ele só chegou aos dois dígitos na artilharia em 2012 (13 gols no Brasileirão pelo Flamengo), 2014 (13 na Superliga Chinesa pelo Shandong Luneng) e 2015 (14 gols no Brasileirão pelo Corinthians). Naquele time de 2015, porém, ele teve de enfrentar a desconfiança: Love chegou ao Parque São Jorge para ser reserva de Paolo Guerrero e só virou titular porque o peruano foi para o Flamengo.

História: idas e vindas entre CSKA e Flamengo

Revelado em 2003 pelo Palmeiras (ele era a estrela do time campeão da Série B), Love já se tornou especialista em reviravoltas na carreira. Em 2004, após disputar a Copa América pela seleção brasileira, foi vendido para o CSKA, da Rússia. Em cinco anos, se tornou um dos melhores jogadores do futebol russo, mas estava esquecido pela seleção brasileira.

Voltou ao Brasil em 2009, novamente para o Palmeiras, pensando na Copa do Mundo de 2010. Mas não deu certo. No início de 2010, foi para o Flamengo e viveu seu primeiro renascimento. Ao lado de Adriano, formou o Império do Amor no ataque rubro-negro e marcou 15 gols no Campeonato Carioca – o desempenho não foi suficiente para valer uma convocação para a Copa do Mundo da África do Sul e o jogador, que estava emprestado, voltou para a Rússia.

Depois disso, foram cinco anos de temporadas decepcionantes. Ele passou por CSKA e, novamente, Flamengo até chegar à China. Em 2014, foram 13 gols pelo Shandong Luneng. Não era muito, mas foi o suficiente para que ele convencesse o Corinthians. No Parque São Jorge, foi contestado no início, mas acabou sendo um dos jogadores mais importantes do título de 2015.

Em 2016, foi um dos que deixaram o elenco campeão brasileiro. Contratado pelo Monaco, ficou menos de uma temporada no Campeonato Francês antes de ir para o Alanyaspor, onde teve recepção de ídolo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos