Manutenção da Arena Corinthians custa R$ 2,5 mi. Luz é uma das culpadas

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

  • Eduardo Anizelli/Folhapress

    Média de público da Arena Corinthians é de quase 31 mil torcedores

    Média de público da Arena Corinthians é de quase 31 mil torcedores

Uma contenção de gastos está em curso na Arena Corinthians. O objetivo da administração do estádio alvinegro é diminuir o valor mensal da manutenção, que gira em torno de R$ 2,5 milhões por mês. 

Para conseguir reduzir o custo, a administração da Arena Corinthians colocou em prática algumas ações nos últimos meses. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o grupo que gere o estádio confirmou o valor mensal pago com a manutenção e disse que a ação mais importante está ligada à renegociação do contrato de manutenção predial. 

Os números do setor representam a maior parte do custo fixo mensal da Arena Corinthians. Eles envolvem os serviços de limpeza, segurança patrimonial, brigada de incêndio, manutenção de equipamentos, entre outros serviços. A empresa Tejofran é responsável pela manutenção predial.

De acordo com o balanço financeiro do primeiro trimestre do ano passado, o fundo desembolsou em média R$ 548 mil apenas com a limpeza e a manutenção do estádio do Corinthians. Os gastos com energia elétrica chegaram, em média, a R$ 415 mil mensais. 
 
Com isso, as lâmpadas convencionais foram trocadas pelas de alta eficiência e durabilidade. De acordo com a administração da Arena, houve uma redução de cerca de 30% no consumo de energia elétrica do estádio.
 
Outros gastos de manutenção estão ligados ao gramado, segurança, arquitetura, tecnologia e folha de pagamento. "Também com o objetivo de reduzir o custo fixo mensal, estamos negociando permutas com alguns fornecedores e parceiros, envolvendo algumas propriedades da Arena Corinthians", disse a administração à reportagem.

A conta não fecha

Nesta temporada, o Corinthians disputou seis jogos na arena de Itaquera. A renda bruta acumulada chegou a R$ 6,1 milhões, com média de R$ 1,02 milhão. Depois de pagar todas as despesas do jogo, R$ 3,4 milhões foram destinados ao fundo que administra o estádio.
 
A média de renda líquida nos seis duelos, portanto, chegou a R$ 565,3 mil. Com mais dois confrontos em Itaquera até o fim de março, o valor líquido em 2017 deve chegar a R$ 4,5 milhões.
 
Nesse período, com manutenção mensal de R$ 2,5 milhões, o déficit chegou a R$ 3 milhões. Além disso, o Corinthians precisa pagar as parcelas mensais do financiamento, que giram em torno de mais R$ 3 milhões.
 
O Corinthians iniciou o pagamento para quitar a dívida em julho de 2015. Inicialmente, teria 12 anos para pagar o estádio. Depois de um acordo com a Caixa Econômica, esse período passou a 20 anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos