Ele foi atacante e hoje é zagueiro que não leva um cartão há 11 meses

Fábio Aleixo

Do UOL, em São Paulo

  • Arquivo Pessoal

Um zagueiro que atua no futebol paulista está perto de conseguir um feito impressionante: ficar um ano inteiro sem levar um cartão sequer, seja ele amarelo ou vermelho. Mais precisamente, faltam 18 dias para atingir a marca. O jogador em questão é Odair Lucas, atleta que defende o Rio Claro na Série A2 do Campeonato Paulista.

A última vez que foi advertido por um árbitro foi na última rodada da Série A1 do Estadual de 2016, em 10 de abril. Naquela ocasião, seu time acabou derrotado por 1 a 0.

Desde então, já são 33 partidas sem ver um cartão. Para completar um ano sem punição, faltam somente cinco partidas, a primeira delas nesta quinta-feira contra o Água Santa.

"Sinceramente, eu não esperava ficar 33 jogos sem receber cartão. Mas se passaram cinco jogos, depois dez, depois 15 e foi indo. E agora coloquei como meta pessoal não levar mais cartão. Mas sei que é muito difícil", afirmou em entrevista ao UOL Esporte.

"Eu nunca fui um cara de fazer muita falta e muitas vezes levava cartão por reclamação, mas com o tempo fui pegando experiência e aprendendo a conversar com o árbitro sem gritar ou gesticular muito", disse o atleta de 27 anos.

"Sempre encaro muitos atacantes de beiradas, velozes. Mas mantenho a lealdade. Levo isso muito a sério", disse Odair, que neste período de 33 jogos nem substituído foi.
 
Hoje se destacando como zagueiro do Rio Claro, time que estava invicto até a última rodada da A2 (11 jogos no total), Odair Lucas começou sua carreira bem longe da defesa. Ele era atacante e chegou a disputar nesta posição um Campeonato Paranaense pelo Operário de Ponta Grossa. Mas o acaso e uma certa "malandragem" o tornaram um defensor.
 
"Marquei alguns gols, mas depois do primeiro ano não fiquei lá. As coisas não estavam dando certo para mim e acabei desanimando. Tive de começar a trabalhar com outras coisas para ajudar a minha família. Fui pedreiro, carpi no campo, e fiz uns bicos. Aí em 2009, surgiu uma oportunidade fazer uma avaliação no Rio Claro, quando o Paulinho McLaren era o técnico. Fiquei assistindo um treino e vi que havia uma carência ali na defesa. Quando perguntaram em que posição eu jogava falei que era de zagueiro. Fiquei no time e não mudei mais de posição", contou ele, que mede 1,87m.
 
Odair ficou no Rio Claro até 2010 antes de começar a rodar por diversos clubes do Brasil, como Boa Esporte, Marília, Fluminense de Feira-BA, entre outros. Isso até retornar no ano passado ao clube.
 
Ainda com cacoetes ofensivos, Odair costuma subir à aérea adversária com frequência durante as partidas. Nesta Série A2 já fez dois gols. "No rachão, eu sempre faço gols e, durante o jogo, o nosso treinador (Sergio Guedes) me dá esta liberdade de ir ao ataque. Quando o jogo está difícil, eu subo mais", disse ele que se diz fã do zagueiro Juan.
 
 
 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos