Tinha "35 milhões de motivos" para mudar de clube após vice, diz Simeone

Do UOL, em São Paulo

  • Reuters / Wolfgang Rattay

A derrota na final da Liga dos Campeões em maio de 2016 quase significou o fim da passagem de Simeone deixou no ar que tinha uma proposta milionária para deixar o clube após o vice-campeonato em decisão contra o Real Madrid, mas resolveu ficar.

"Cheguei na sala de imprensa, tive que atravessar todo o setor onde festejavam os jogadores do (Real) Madrid, sentei e sentia dor. E só passava em minha cabeça que este seria um ano duro, que seria difícil voltar a comprometer meus jogadores", disse o treinador, que naquela entrevista disse que pensaria sobre o futuro.

"Disse o que sentia, que necessitava pensar. É tão grave? Pense que se quisesse ter ido para outra equipe eu teria 35 milhões de motivos. 35 milhões de motivos", repetiu, em uma possível referência a uma proposta financeira que tinha em mãos.

"Eu não fui porque não quis, porque não queria, porque apesar de tudo que aconteceu me sinto identificado pelo faço, com o clube, porque acima de tudo tenho um apego enorme com a equipe", explicou.

Com contrato até 2018 no clube, Simeone evita falar em uma futura saída. No momento, o treinador disse que continua motivado com seu trabalho no Atlético de Madri.

"São cinco anos e meio. Eu sinto que sou feliz porque a vitamina que os jogadores me fornecem diariamente é enorme. Isso é o que me revitaliza. Olhe só a resposta que esta equipe teve outro dia na partida em Sevilla. Isso me gera esperança", disse.

Whatsapp dos astros: zoeira nunca acaba na "Resenha da Liga dos Campeões"

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos