Onde foi o dinheiro? Inter contrata empresa e terá diagnóstico financeiro

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Jeremias Wernek/UOL

    Marcelo Medeiros (d) contratou empresa que irá vasculhar Inter de Vitório Píffero (e)

    Marcelo Medeiros (d) contratou empresa que irá vasculhar Inter de Vitório Píffero (e)

O Internacional quer saber exatamente onde está aplicando cada centavo que entra no clube. Para atingir o objetivo de crescer financeiramente - mesmo no ano que disputará a segunda divisão do futebol brasileiro - o clube contratou uma empresa especializada e irá criar um diagnóstico preciso das aplicações.

A decisão foi tomada a partir da grave situação financeira encontrada pela atual gestão do clube. Com dívidas vencidas, cheques sem fundo, cheque especial por pagar, atrasos com vencimentos no futebol, o Inter demorou três meses para começar a entrar nos eixos. Agora, busca entender o que houve.
 
"Temos dito que todas as instituições de natureza pública ou privada tem contas a pagar e receber. Durante estes quase 90 dias, segunda-feira completa três meses da nossa posse, tivemos o cuidado de, ao sermos questionados, não entrarmos muito no aspecto financeiro porque uma das nossas preocupações era termos a nossa visão da situação que o clube se encontrava e se encontra. Este é o cenário que nós encontramos, uma tela emblemática, que no dia três de janeiro tinha um valor de pouco mais de R$ 25 milhões em contas vencidas. Este é o cenário que encontramos. Não nos surpreende. Se tivesse nos surpreendido não deveríamos estar aqui", afirmou o presidente Marcelo Medeiros. 
 
A meta, segundo ele, é dar ao próximo presidente do clube, que assumirá no início de 2019, uma situação melhor do que a encontrada em janeiro deste ano. Além de, por óbvio, um time fora da Série B. 
 
E para isso, foi contratada a empresa Ernst & Young. Em um prazo de 90 dias os profissionais irão acompanhar cada detalhe do processo financeiro do clube. O diagnóstico vai apontar onde foi aplicado bem ou mal o dinheiro. 
 
"O Inter tomou algumas iniciativas que nunca tinham sido feitas nestes 108 anos de história. A contratação da Ernst Young é emblemática, porque pela primeira vez vamos fazer um diagnóstico extremamente profundo das nossas questões internas. A empresa já está trabalhando no Inter há três semanas e o estudo será desenvolvido por 90 dias. Todas as ferramentas deste diagnóstico serão adotadas. Continuaremos com uma redução drástica de despesas, e neste primeiro trimestre já reduzimos de 15% a 20% nas prestações de fornecedores. Então, o clube, além dos desafios de campo e dos tribunais, tem enfrentado questões financeiras com muita profundidade, seriedade e transparência", explicou o mandatário. 
 
Além de erros e acertos, a empresa irá apontar se houve algum tipo de desvio ou aplicação irregular de dinheiro do clube. Mas tais termos sequer foram citados pelo presidente vermelho para não alimentar insinuações. 
 
"Seria leviano da nossa parte fazermos insinuação. Eu acho que os profissionais, principalmente na mídia, quando recebem informações desta gravidade têm condições de apurar a veracidade da informação. Não nos cabe, enquanto gestores, fazermos este tipo de apontamento. Estamos tratando das questões do clube de uma forma extremamente profissional, transparente, para que especialistas na área de finanças e auditoria nos deem melhores rumos e informações do clube. Mas este tipo de insinuação, preocupação e irregularidade não passa pela gestão, mas auditorias e Conselho Fiscal", afirmou Medeiros. 
 
"Quem vai dizer isso (erros, acertos e situações corretas e incorretas) é o parecer fiscal. Não estamos analisando as contas da gestão passada, mas atual situação financeira do clube e o orçamento que sugerimos. Não temos atribuições investigativas nem de auditoria. Juízos de valor são feitos por quem pode opinar. Nós não opinamos, demonstramos. Opinar cabe ao Conselho Fiscal quando for o caso de fazer", finalizou. 
 
Se alguma irregularidade for encontrada, caberá ao Conselho Deliberativo do Inter determinar o caminho a ser tomado. 
 
O orçamento do Internacional para 2017, divulgado nesta sexta-feira, prevê déficit de R$ 58 milhões. Segundo a direção do clube, tal marca é a melhor a ser esperada mesmo com os corte de gastos previstos para o ano. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos