Em crise financeira, Inter encarece folha de pagamento por volta à elite

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

  • Ricardo Duarte/Inter

    Volta de D'Alessandro pesou na folha de pagamento do Internacional

    Volta de D'Alessandro pesou na folha de pagamento do Internacional

O Internacional não escondeu, em coletiva concedida na última sexta-feira (31), que se encontra em um momento complicado financeiramente. Depois de receber o clube com R$ 25,5 milhões em dívidas já vencidas, o presidente Marcelo Medeiros afirmou que conseguiu honrar com todos os vencimentos do grupo de atletas e fornecedores. Agora, ao mesmo tempo que prevê cortes em gastos desnecessários, o mandatário confirma que a folha de pagamentos do futebol ficou mais cara. Tudo para voltar à elite do futebol.

"É óbvio que nossa situação é mais grave (que anos anteriores). Estamos na Série B. Nunca estivemos na Série B na nossa história. A gravidade se dá pelo desempenho constrangedor no segundo semestre do ano passado", disse Medeiros. "Se contrata mal, se gasta mal. Me parece que estar na Série B pela primeira vez nos 108 anos de história do clube cria um cenário novo", completou.

E para sair de tal cenário o Inter está redirecionando verbas. Os investimentos no futebol partiram de negociações com parcelamento de pagamentos. Chegaram Victor Cuesta, Klaus, Alemão, Carlinhos, Uendel, Neris, Roberson, Edenílson e Carlos, além da volta de D'Alessandro e da contratação de Felipe Gutiérrez, que ainda será confirmada. Saíram mais de 20 atletas. Mas entre idas e vindas, a folha de pagamento subiu para valor próximo a R$ 7 milhões.

"A folha subiu porque a do ano passado nos rebaixou. A volta do D'Alessandro teve um impacto na fila, a rescisão do Ariel também. E quero aqui registrar um agradecimento ao Alex, que também tem reflexo nas contas do clube. O desempenho de jogadores que não estão mais no Inter e saíram, e não gosto de individualizar e culpar, mas mudou e seguem com o mesmo desempenho. Saíram 20 jogadores do plantel passado. Se não me engano, 15 do grupo principal. A qualificação está acontecendo, mas o futebol não se faz da noite para o dia", salientou o presidente.

O melhor investimento do dinheiro destinado ao futebol também será alvo de estudo no diagnóstico financeiro contratado pelo Inter. Uma empresa especializada estudará toda relação de lucro e gasto do clube.

"Não gosto de especificar, mas a folha subiu em torno de R$ 1 milhão em relação ao ano passado. E isso está dividido dentro do que podemos trabalhar. Nestes 90 dias em que teremos estudo financeiro do clube, o vestiário está aberto. Ele também acontecerá no futebol. Mas tudo está dentro de uma previsão de orçamento", comentou o mandatário.

Estamos atenuando erros, nos organizando neste sentido, aprofundando sistemas. Comparando com o ano passado, e o ano passado é um exemplo a não ser seguido, temos que qualificar tecnicamente o grupo, fisicamente e com comprometimento. A volta do nosso capitão é um exemplo disso. É um atleta comprometido, emblemático, do Inter, que não esteve no ano passado, e nós caímos", completou.

Com a chegada de Felipe Gutiérrez e a proximidade do fechamento da janela internacional, marcada para a próxima terça-feira, o Inter encerra momentaneamente o ciclo de contratações. Uma nova leva de mudanças deve ocorrer apenas próximo do dia 20 de junho, quando novamente inscrições de fora do país são autorizadas. 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos