Caso Victor Ramos: Diretor jurídico do Vitória viaja para audiência na CAS

Do UOL, em Santos (SP)

  • Foto: Francisco Galvão/ Divulgação/ EC Vitória

    Victor Ramos teve inscrição irregular em 2016 na visão do Internacional

    Victor Ramos teve inscrição irregular em 2016 na visão do Internacional

O diretor do departamento jurídico do Vitória, Augusto Vasconcelos, viajou na noite deste domingo (2) para Lausanne, na Suíça, onde será realizada a audiência do caso Victor Ramos, na sede da Corte Arbitral do Esporte (CAS), nesta terça-feira (4).

Em nota divulgada em seu site oficial, o Vitória informou que, no julgamento, fará a sustentação oral da defesa que já foi apresentada. O clube destaca ainda que o departamento jurídico está reforçado com a assessoria de um escritório especializado em assuntos do CAS.

"O Vitória está empenhado no assunto e consideramos que o clube não praticou ato irregular. O clube tem adotado todas as medidas para impedir qualquer revés neste julgamento. Achamos absurda a postura do Internacional de tentar reverter o resultado em campo através de uma manobra jurídica. Acreditamos que o CAS vai manter o Vitória na Série A, pois o clube não praticou irregularidade", disse Augusto Vasconcelos.

Já o Internacional age com cautela. Ao mesmo tempo em que vê Victor Ramos inscrito irregularmente, evita qualquer empolgação por não saber o que esperar da análise na Suíça.

Até agora, CBF, Vitória, Inter e STJD, partes envolvidas no processo, passaram suas alegações à CAS e serão novamente ouvidos nesta terça-feira.

Entenda o caso

O Internacional vê irregularidade na inscrição de Victor Ramos pelo Vitória no ano passado. O jogador tinha direitos ligados ao Monterrey, do México, e, na visão do Colorado, teria que respeitar a janela de transferências internacionais para trocar o Palmeiras pelo Vitória, em diferentes contratos de empréstimo. Porém, tal período não foi respeitado, ele foi inscrito fora da janela, teve vínculo publicado no Boletim Informativo Diário (BID) e atuou regularmente.

A alegação da CBF e do Vitória para isso é que a documentação de inscrição do jogador não retornou ao México, por isso a transação pôde ser concluída no Brasil. Após denúncia do Internacional, o STJD negou-se a julgar o caso e a partir disso que o time vermelho procurou a CAS, na Suíça.

De acordo com o CBJD, a punição para a utilização de um jogador de forma irregular é a perda de pontos nos jogos em que ele esteve em campo. Desta forma, o Vitória perderia pontuação no Brasileiro e acabaria rebaixado para a segunda divisão, recolocando o Inter na elite do futebol nacional. 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos