Chapecoense adota "lei do silêncio" antes de jogo contra Atlético Nacional

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

  • TARLA WOLSKI/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O jogo entre Chapecoense e Atlético Nacional pela Recopa Sul Americana desta terça (01) deverá ser cheio de emoções devido aos laços construídos após a tragédia aérea envolvendo o avião do clube brasileiro ano passado. Por causa disso, o clube brasileiro decidiu blindar o atual elenco.

Em uma decisão conjunta, entre diretoria, comissão técnica e assessoria de comunicação, jogadores e membros da comissão técnica não concederão entrevistas de nenhum tipo até a hora da partida.

Segundo a assessoria do clube, essa é uma maneira de preservar os jogadores do novo elenco e os manter focados na disputa do título dentro das quatro linhas. A medida também se estende aos sobreviventes Alan e Neto, que se recuperam no clube e estão próximos do retorno aos gramados.

A decisão foi tomada após a vitória no sábado diante do Figueirense, jogo que confirmou uma invencibilidade de 10 partidas do clube no Catarinense. A única manifestação de algum membro da comissão técnica da Chape será realizada nesta segunda, quando o técnico Vagner Mancini concederá entrevista coletiva após o treino marcado para o final da tarde.

"A decisão foi tomada para respeitar os momentos e os espaços desta partida. Pensamos que os jogadores devem se concentrar no lado competitivo e de preparação para a partida. Não é nenhum tipo de censura, mas como o jogo tem esse lado desportivo e também de homenagem, os jogadores precisam focar na partida", comentou o diretor executivo Rui Costa

Chapecoense e Atlético se enfrentam nesta terça-feira pela primeira partida da Recopa Sul-Americana. O segundo duelo está marcado para o dia 10 de maio, na Colômbia.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos