Palmeiras não usa, mas também não quer ceder Rafael Marques. Por quê?

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

  • MARCELLO FIM/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

A situação de Rafael Marques no Palmeiras chama a atenção do mercado. Encostado, ele é alvo de diversas propostas, mas resiste à tentação de ir a um clube em que jogaria mais. O último interessado foi o Internacional, de olho em uma troca com Valdívia. Embora a decisão ainda não tenha sido tomada de maneira oficial, a tendência é que o atacante continue no Palestra Itália.

Antes, ele já havia sido sondado pelo Sport para uma possível troca envolvendo o lateral Samuel Xavier. O São Paulo chegou a cogitar aceitá-lo como moeda de troca em outro negócio que envolveria troca: desta vez, pelo Michel Bastos. No início do ano passado, Rafael foi cotado como opção para o ataque do Grêmio. Ele também teve seu nome citado em uma possível troca por Luan, do Vasco, há cerca de um mês. Nunca o negócio avançou. 

Mas por quê? O que faz o Palmeiras ter tanta vontade de manter um atacante que não é tão aproveitado?

Rafael é visto pela comissão técnica como um atleta experiente e versátil. Ele pode jogar aberto, como já declarou diversas vezes que gosta, ou como centroavante. Dentro de campo, ele ainda sempre apareceu em horas importantes. Não à toa, é um dos artilheiros do time em clássicos regionais, ao lado de Dudu, com sete gols.

Além disso, o atacante é muito querido no grupo. No ano passado, ele recebeu o apoio de todos do elenco em uma discussão ríspida com Cuca. Ainda em termos financeiros, Rafael abriu mão de um dinheiro que teria a receber na China para poder renovar seu vínculo com o Palmeiras por dois anos, o que gerou muitos elogios com a diretoria comandada por Alexandre Mattos.

E Rafael Marques também não sabe se quer sair...

Por não ser tão aproveitado, Rafael já considerou a chance de sair do clube. Especialmente no início do ano, quando chegou a ser cogitado que nem na lista de inscritos para o Estadual ele estaria.

Superada essa fase e com a vaga garantida, ele sonha com mais chances no elenco e de aumentar o aproveitamento. Neste ano, atuou por apenas 75 minutos e fez um gol, contra o Mirassol. Nas outras, acompanhou do banco de reservas.

Rafael Marques também tem orgulho de conseguir vencer a desconfiança que despertou na sua chegada. Como já havia passado pelo Palmeiras em 2004, o atacante foi muito questionado assim que chegou. Com o tempo, conquistou o respeito e o carinho do torcedor e virou até alvo de brincadeiras como a do apelido Benzemarques. 

Em 2015, no seu primeiro ano no clube, ele fez 15 gols em 56 jogos, com direito a algumas atuações marcantes contra Corinthians e São Paulo. No ano passado, ele já foi menos aproveitado, com cinco gols em 34 jogos.

Embora queira muito ficar, o jogador diz saber o momento de sair caso perceba que não terá mais lugar no grupo. Ao menos por enquanto, não é o que sinaliza o técnico Eduardo Baptista. Ele tem contrato até o fim deste ano. Se mudar de ideia, Rafael seria mais um da lista de atacantes que deixou o Palmeiras recentemente por falta de aproveitamento. Lucas Barrios e Leandro Pereira são exemplos disso.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos