Meia do PSG diz que futebol estaria morto sem o Barça e vê CR7 "previsível"

Do UOL, em São Paulo

  • Divulgação/Site PSG

    Reserva do PSG, Hatem Ben Arfa fez elogios ao jogo do Barcelona

    Reserva do PSG, Hatem Ben Arfa fez elogios ao jogo do Barcelona

O meia-atacante Hatem Ben Arfa, do Paris Saint-Germain, afirmou em entrevista à revista France Football que o futebol "estaria morto" se não fosse pela existência do Barcelona. O jogador também chamou Cristiano Ronaldo de "previsível" e disse que ele não tem a "magia" de atletas como Messi e Iniesta.

"Por sorte, existe o Barça. Sem esse time, diríamos que o futebol estaria acabado, morto. O Barcelona mostra que se pode jogar a um nível alto sem deixar de lado o espetáculo. As pessoas vão ao estádio para se divertir. Mesmo no Campeonato Francês, nós matamos o futebol", disse ele.

"Eu pagaria para ver Iniesta, como para ver a Verratti [meio-campista do PSG]. Iniesta é um presente, tem magia, e você nunca sabe o que ele vai fazer. Quando estou no banco, pelo menos passo um bom tempo vendo Verratti. Messi é como Iniesta, mas Cristiano não é assim. Ele não me transmite nenhuma emoção, é muito previsível", completou.

Ben Arfa, que é reserva no PSG e não saiu do banco nos duelos contra o Barça pela Liga dos Campeões, ainda fez elogios a dois treinadores argentinos: Marcelo Bielsa, atualmente sem clube, e Jorge Sampaoli, do Sevilla. Mas ele disse não gostar de Diego Simeone, comandante do Atlético de Madri, e do português José Mourinho, do Manchester United.

"Bielsa e Sampaoli [são meus favoritos], porque seus times têm muito trabalho, muita organização, mas não deixam de lado a espontaneidade. Já Mourinho, como Simeone, é a antítese de Cruyff e da liberdade. Não há prazer nestes treinadores", afirmou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos