Filho de Caio Júnior confirma que irá mover ação contra a Chapecoense

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, em Chapecó

  • @ParanaClube/Twitter

    Em cerimônia, Matheus Saroli citou amor que o pai, Caio Júnior, tinha pelo Paraná Clube

    Em cerimônia, Matheus Saroli citou amor que o pai, Caio Júnior, tinha pelo Paraná Clube

Durante homenagem a Caio Júnior na Vila Capanema nesta quarta-feira, Matheus Saroli, filho do treinador morto na tragédia aérea na Colômbia, agradeceu ao Paraná Clube por ter batizado a sala de imprensa do clube com o nome do pai. Entretanto, teve também de comentar sobre o impasse com a Chapecoense.

O filho de Caio Júnior confirmou que a família estuda entrar com uma ação contra o clube e empresas envolvidas no acidente aéreo de novembro de 2016, mas apenas salientou que valores solicitados de indenização publicados recentemente pela mídia não são verdadeiros.

"Hoje eu e minha família estamos aqui felizes e orgulhosos no evento que batiza a nova sala de imprensa do Paraná Clube com o nome do meu pai. É um clube que ele amava e que tem uma grande gratidão com ele e com a nossa família. Estamos passando por momentos difíceis, sendo diariamente lembrados da ausência do meu pai", disse.

@ParanaClube/Twitter
Sala de imprensa do Paraná Clube ganhou o nome de Caio Júnior, morto em novembro

"Sobre a questão que surgiu nesta semana, temos o seguinte posicionamento: a opinião e os sentimentos das famílias que foram diretamente afetadas são diferentes da opinião das pessoas que veem a situação de fora, ou das pessoas que foram contratadas pelo clube pós-tragédia. Isso é indiscutível. Vamos entrar com uma ação, sim, contra o clube ou outros, sobre questões específicas que não estão resolvidas e não ficamos satisfeitos. Assim como outras famílias. Mas em momento algum citamos ou esperamos algum valor como foi citado. Isso cabe à Justiça determinar. Esse tipo de informação cria opinião e também uma imagem que não corresponde com a nossa e com a do meu pai", disse.

"Quero deixar claro que temos um carinho e um respeito grande em relação a Chapecoense, temos memórias incríveis do clube e da cidade. Mas hoje em dia temos uma pequena relação com as pessoas do clube, somente com o nosso amigo e presidente, o Maninho. Portanto nossa relação não é mais a mesma. Queremos que meu pai seja lembrado por seu trabalho e caráter, justamente o que celebramos aqui hoje, e não por uma possível polêmica que não deveria nem ter sido criada", completou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos