Tite descarta "mágica" e explica transformação da seleção brasileira

Do UOL, em São Paulo (SP)

  • Matheus Guerra/Mowa Press

    Tite mudou a postura da seleção brasileira

    Tite mudou a postura da seleção brasileira

Com 100% de aproveitamento, Tite alcançou, em pouco tempo, o status de unanimidade no comando técnico da seleção brasileira. Neste domingo (9), em entrevista ao Mesa Redonda, da TV Gazeta, o treinador explicou um pouco da mudança da postura, dentro e fora de campo, do Brasil. Em pouco tempo, ele conseguiu recuperar o futebol da seleção e garantiu a vaga antecipada para a Copa de 2018, na Rússia, restando ainda quatro rodadas para o fim das eliminatórias.

"Não sei o que eu fiz, mas mágica eu não fiz. Algumas coisas são essenciais para a mudança acontecer e uma delas é a qualidade dos jogadores. Temos um grupo de muita qualidade. Alguns estão em um momentos de crescimento, outra amadurecimento, alguns já na plenitude, outros jovens... Essa mescla é importante, ainda mais com um ingrediente especial: a confiança. O primeiro jogo, contra o Equador, foi fundamental", avaliou Tite.

O treinador ainda explicou como funciona a comunicação entre ele e os atletas enquanto eles estão em seus respectivos clubes. "Eu procurei saber e sabia exatamente onde os jogadores se posicionavam em seus clubes. Aí, ligava para eles e falava. 'Olha, vou passar um vídeo para você já ver o que faremos no próximo período de trabalho'. Ou seja, adiantei o processo audiovisual. Neymar na mesma função, mas o (Philippe) Coutinho, que faz pela esquerda, aqui vai fazer pela direita. Era assim, desafiador", acrescentou.

CONSELHO PARA NOVOS TREINADORES
 
"Mantenha seu estilo e siga suas convicções. Não existe fórmula pronta. Não existe um jeito de ganhar. Eu respeito as abordagens, mas ela é uma abordagem que não conhece toda minha história (quando foi chamado de retranqueiro). Carinhosamente falando. Jogava para cima com o Caxias, com o São Caetano... Conhecimento e equilíbrio é fundamental. Importante é tirar o melhor de suas peças, ou mais conservador... Depende do você tem na mão. Se sou eu que fico insistindo no Fellaini, como o Mourinho faz... Meu deus", disse em tom de brincadeira.
 
CARILLE NO CORINTHIANS
 
"É um baita de um profissional, com um baita caráter. Está tendo tempo da direção para montar o trabalho. Essa segurança para trabalhar com pressões e expectativas é muito importante. Foi um pouco atrapalhado por conta de lesões de jogadores, que prejudicaram seu sistema de criatividada, mas está evoluindo. Ele está seguro das suas manifestações, de suas ideias".
 
COMO NÃO ENFERRUJAR
 
E agora? Só assistir aos jogos... Me descobri um pouquinho. Eu preciso assistir jogos ao vivo. Começo a pensar com a cabeça deles, penso em que alteração poderia ser feito, elogio e 'corneto' para mim... Essa é uma maneira de não enferrujar. Não é só vídeo, transmissões... É no dia a dia também, é como consegui amenizar um pouco".
 

COMO VÊ NEYMAR

"Jogador em evolução tanto no aspecto técnico quanto de maturidade pessoal. Depois da Olimpíada, ele me pediu para não ser capitão. Eu disse: 'vai comemorar, depois conversamos'. Depois de um certo tempo, conversei com ele, falei que queria revezar a faixa de capitão e pedi para ele pensar sobre o assunto. Passou um tempo, ele veio e me disse que poderia contar com ele".

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos