Palmeiras cria meta para usar base, mas "efeito Crefisa" atrapalha

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo

  • Cesar Greco/Fotoarena

Se o alto investimento da Crefisa traz vários benefícios, o Palmeiras tenta lidar com um lado negativo do aporte: o pouco uso das categorias de base. Como tem apoio financeiro para reforçar o elenco, a equipe praticamente não precisa recorrer aos atletas que foram formados em casa. Para evitar a dependência excessiva do mercado da bola, o clube definiu uma meta: quer que quatro atletas revelados internamente joguem pelo menos 45 minutos em dez partidas da temporada. 

A meta, em 2017, está longe de ser cumprida. Em jogos oficiais, apenas Vitinho fez participações e só jogou por 16 minutos, sendo nove no empate por 2 a 2 contra o Audax e mais sete na vitória em cima do Mirassol. O meia Léo Passos e o zagueiro Vitão estão introduzidos no elenco profissional, mas ainda estão longe de terem uma oportunidade. Eles foram inscritos na Libertadores apenas pelo excesso de atletas lesionados.

Os jovens têm pouco espaço em um elenco recheado de reforços caros, muitos deles bancados pela patrocinadora. Só nesta temporada, a Crefisa já injetou R$ 75 milhões para contratações. A última delas dá a medida de como o Palmeiras enxerga a reposição em seu elenco. De olho nas prováveis saídas de Vitor Hugo e Mina, o clube contratou Luan, do Vasco, por R$ 10 milhões. 

Não à toa, nomes revelados recentemente no Palestra Itália estão emprestados, como os casos de Victor Luís, que está no Botafogo, João Pedro, que está na Chapecoense, e Matheus Sales, que está no Bahia. Os dois últimos, aliás, fizeram parte do cumprimento da meta do setor em 2016. 

No ano passado, o Palmeiras queria três atletas revelados no clube que pudessem atuar em por 45 minutos em pelo menos dez partidas. Além do sucesso com Gabriel Jesus, uma realidade desde 2015, o time teve Thiago Martins (contratado ainda para a base em 2013), Matheus Sales e João Pedro entre os que entraram em campo.

No fim do ano, porém, dois foram negociados para ganhar experiência. Matheus Sales é quem mais anima a diretoria, que faz questão de lembrar da participação importante do volante como titular na final da Copa do Brasil em 2015. 

A criação de metas para a categoria de base passa pelo sucesso que os times menores alviverdes têm alcançado. No ano passado, diferentes categorias de idade conquistaram títulos - três delas nos Campeonatos Paulistas sub-15, sub-13 e sub-11. Atualmente, a equipe também aposta em Alanzinho, que foi destaque do sub-17 com a seleção brasileira ao lado de Vinicius Jr. 

No ano passado, o Palmeiras orgulha-se do número de atletas convocados para as diferentes seleções. Ao todo, 21 atletas ganharam chances nas seleções de base: Daniel Fuzato, Anderson, Joílson, Vitinho, Kaue, Arthur e Augusto (sub-20); Vitão, Gabriel Lacerda, Lucas Rosa, Alanzinho, Wallace, Caio Cezar, Roberto Carlos, Vitinho e Matheus Barbosa (sub-17); Ian Lipollis, Vinicius Nogueira, Caíque, Luan e Brendon (sub-15).

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos