Alemanha liga suspeito ao EI, mas não tem indício de participação em ataque

Do UOL, com informações da EFE

  • AFP / Odd ANDERSEN

A promotoria da Alemanha pediu nesta quinta-feira a prisão do iraquiano detido na última quarta-feira como suspeito pelo ataque contra o ônibus do Borussia Dortmund por supostamente ter lutado do Estado Islâmico no Iraque. Porém, em comunicado o órgão que investiga o ataque admite que até agora não encontrou nenhuma evidência de que ele participou no ataque terça-feira antes do jogo contra o Monaco na Liga dos Campeões.

No texto, a procuradoria diz que o homem, identificado como Abdul Beset A., 26, é acusado de ser um membro do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque pelo menos até 2014.

"O réu foi preso ontem temporariamente em conexão com o ataque ao ônibus da equipe de futebol Borussia Dortmund. As investigações não revelaram quaisquer indícios ainda de que o acusado participou no ataque", acrescentou.

No entanto, a promotoria disse que o homem é suspeito de ter lutado pelo Estado Islâmico no Iraque e ter liderado uma unidade de cerca de dez pessoas, responsável pela preparação de "sequestros, extorsões e assassinatos".

Segundo os investigadores, Abdul Beset A. chegou a lutar com o EI. Em março de 2015, ele viajou para a Turquia e, no início de 2016, para a Alemanha.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos