Buscando interesse no Paranaense, Atlético abre semifinal contra o Londrina

Napoleão de Almeida

Colaboração para o UOL, em São Paulo

  • Jaime Saldarriaga/Reuters

    Grafite pode formar dupla pela primeira vez com Eduardo da Silva, contra o Londrina

    Grafite pode formar dupla pela primeira vez com Eduardo da Silva, contra o Londrina

Apesar de tudo, o Campeonato Paranaense segue nesse domingo com suas duas semifinais confirmadas. Atlético, Londrina, Coritiba e Cianorte buscarão duas vagas na decisão. Na Arena da Baixada, 16h de domingo (16), Atlético e Londrina abrem sua série. Para o Londrina, uma oportunidade de confirmar a segunda chance que recebeu com a mudança na fase final; para o Furacão, uma tentativa de buscar um bicampeonato raro na história do clube, ao mesmo tempo em que lida com sensações diversas sobre a participação no Estadual.

É unanimidade que o Paranaense 2017 desagradou por tudo o que aconteceu fora de campo. Mas ninguém foi mais crítico que o técnico do Atlético Paulo Autuori. Ele chegou a dizer que "mancharia" o currículo contar com um título como esse. No entanto, para a história do clube, é um caneco que somaria apenas pela quarta vez um bicampeonato. Apesar de ser o segundo maior vencedor de títulos do Paraná (23, contra 37 do Coritiba), o Furacão foi bicampeão apenas nas temporadas de 1929/30, 81/82 e 2000/01/02 – neste caso, o único tri.

"Claro que importa, tudo que tem a ver com a história do clube nos importa, e muito. Vai ser contabilizado, né? Mas de lembrança mesmo, vai ser muito ruim um campeonato como esse", disse Autuori, sem voltar completamente atrás em sua análise: "Temos que desenvolver nosso trabalho sem deixar de dar a nossa opinião. A Federação jogou contra ela mesma. O momento em que tinha que parar o campeonato para evitar isso tudo, não fez. Sabe, não tem como. Mas, tudo bem. É o papel de cada um. O nosso é entrar em campo e jogar. Em termos de motivação não é a melhor", confessou.

Apesar de ir a campo com o time principal, uma vez que já desmontou a equipe B que atuou em 9 partidas no Paranaense, o Atlético terá uma gama de desfalques para a partida. Suspensos, Weverton, Douglas Coutinho e Felipe Gedoz estão fora. Outros quatro jogadores estão no departamento médico: Otávio, Wanderson, Carlos Alberto e Pablo. Os dois últimos estão no que se chama "fase de transição" e podem até aparecer na partida, o que é improvável.

Provável é a ausência de Lucho González, que pode ser poupado contra o Tubarão. "O Lucho jogou no sacrifício, não era nem pra jogar [contra o Flamengo]. Provavelmente eu vou ter que salvaguardá-lo", comentou Autuori. A novidade deve ser a dupla de ataque formada por Eduardo da Silva e Grafite, este último confirmado pelo técnico para a partida. O time deve ser confirmado apenas no dia do jogo.

No Londrina o clima é outro. Virtualmente eliminado após levar 1 a 3 do J. Malucelli em casa, conseguiu nova chance após a decisão do STJD e eliminou o Rio Branco em dois jogos. Para o técnico Claudio Tencatti, o Londrina pode encarar o Furacão de igual para igual. "Não teremos receio de enfrentar o Atlético Paranaense. Será difícil? Com certeza. O time tem que estar preparado para isso. É isso que vamos trabalhar muito, não só a condição física, técnica e tática, mas também o lado emocional para suportar a pressão", comentou. No turno de classificação, o Londrina ficou no 0 a 0 com o time reserva do Atlético em Curitiba.

Campeonato Paranaense - Semifinal

Atlético-PR x Londrina

Domingo, 16h, Arena da Baixada – Curitiba

Atlético

Santos; Jonathan, Paulo André, Thiago Heleno e Sidicley; Deivid, Matheus Rossetto, João Pedro e Nikão; Eduardo da Silva e Grafite. Técnico: Paulo Autuori.

Londrina

César; Igor Bosel, Matheus, Marcondes e Ayrton; Germano, França, Robinho e Celsinho; Yaya e Paulo Rangel. Técnico: Claudio Tencati.

Árbitro: Fabio Filipus.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos