Alegação de suicídio de torcedor atribuída a advogada causa polêmica

Do UOL, em São Paulo

Uma frase atribuída à advogada de Oscar "Sapito" Gómez, um dos torcedores detidos em Córdoba acusado de participação na morte de um torcedor do Belgrano no jogo contra o Talleres pelo Campeonato Argentino, causou polêmica na Argentina. A emissora "CN24" publicou uma entrevista, com repercussão nos grandes jornais do país como "La Nacion" e "Olé", na qual a advogada Mónica Picco alegava suicídio em defesa de seu cliente.

Nesta terça-feira, porém, em entrevista à Rádio Mirtre, Mónica Picco disse ter sido mal-interpretada e negou o uso da palavra suicídio para se referir à morte de Emanuel Balbo. "Eu jamais disse isso", se limitou a dizer a advogada. 

Segundo a CN24, Mónica Picco diz que "no vídeo se vê que o sujeito se suicidou. Ninguém o atirou". A emissora ainda não se manifestou sobre a alegação da advogada,

Oscar Gómez se entregou na tarde da última segunda-feira. Ele é acusado de ter dado início à confusão, dizendo que Emanuel Balbo, na verdade, era um torcedor do Talleres infiltrado.

Porém, o pai da vítima, Raul Barbo, apresentou outra versão, dizendo que Emanuel se encontrou no estádio com Gómez, acusado de atropelar e matar, há quatro anos, outro de seus filhos, que então tinha 14 anos.

Após o início da confusão, as imagens mostram Emanuel descendo a arquibancada tentando fugir das agressões. Fica claro que o torcedor é agredido e impulsionado para o vão da arquibancada.

A promotora do caso, Liliana Sánchez, declarou que a hipótese defendida pelo pai está sendo investigada e que quatro pessoas ligadas ao crime foram detidas - uma delas menor de idade - por "homicídio qualificado", sem contar o autor intelectual. Mais suspeitos estão sendo procurados.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos