Após cinco anos de uso, Independência segue sem dar lucro ao Atlético-MG

Victor Martins

Do UOL, em Belo Horizonte

  • Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro

    Independência segue como estádio principal para os jogos do Atlético-MG em Belo Horizonte

    Independência segue como estádio principal para os jogos do Atlético-MG em Belo Horizonte

Em fevereiro de 2012 o Atlético-MG assinou um contrato com a BWA, empresa vencedora da licitação para administrar o Independência, para que o clube se tornasse sócio comercial da concessionária na exploração do estádio. Passados cinco anos, em nenhum balanço financeiro do Atlético foi apresentado lucro dessa operação.

Em campo é inegável que a parceria deu resultado. São 102 vitórias do Atlético no Horto e somente 15 derrotas e em 149 partidas disputadas no estádio. Números que fizeram a equipe alvinegra se tornar um dos mandantes mais eficientes nas últimas cinco edições do Campeonato Brasileiro.

No entanto, financeiramente, o Atlético ainda não teve lucro na exploração do estádio. Conta essa que não entra a venda de ingressos para dias de jogos, afinal são coisas diferentes. Informação que consta no balanço financeiro do Atlético, referente ao ano de 2016, que vai ser avaliado pelo conselho deliberativo do clube na próxima segunda-feira (24).

"O Clube Atlético Mineiro é sócio participante SCP Arena Independência, cabendo-lhe 50% dos resultados líquidos obtidos na referida SCP – Sociedade em Conta de Participação. Em 2016 e 2015 não foram apurados resultados positivos", destaca trecho do documento enviado aos conselheiros do clube.

Assim como nos anos anteriores, o balanço informa apenas que não foi apurado resultado positivo, mas sem informar se o clube teve prejuízo ou a arrecadação do Independência foi suficiente para bancar os custos do estádio. Outra informação que não está disponível no balanço é investimento feito pelo Atlético há cinco anos. Para assinar com a BWA e ter participação na exploração do estádio, o clube gastou cerca de R$ 8 milhões, que foram usados em algumas reformas no local.

Essa conta entra o que a LuArenas fatura com a exploração do estádio, seja em dias de jogos, com bares e publicidade no telão, por exemplo, ou em outros eventos que acontecem no Independência. Assim como os gastos para manutenção do equipamento e os repasses mensais que precisam ser feitos ao América-MG, proprietário do estádio, e ao governo de Minas Gerais, que custeou a reconstrução do Independência.

Já a bilheteira é toda do Atlético. Em 2016 o clube alvinegro atuou em 27 oportunidades no Horto. Com uma média de 14.783 pagantes, a arrecadação bruta do Atlético com ingressos vencidos para os jogos no Independência foi pouco mais de R$ 17 milhões. O jogo com o São Paulo, pelas quartas de final da Libertadores, foi o com maior renda e maior público no estádio no ano passado.

O Atlético venceu o São Paulo por 2 a 1, mas não avançou no torneio continental (perdeu o jogo de ida, no Morumbi, por 1 a 0), diante de 21.337 pagantes. A renda foi de R$ 2.016.530,00. Inclusive, esse jogo com o São Paulo aparece na quarta colocação na lista dos maiores públicos do Independência e na terceira posição no ranking de maiores bilheterias do estádio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos