Com sete gols no ano, W. Paulista já fala em ficar por mais tempo na Chape

Daniel Fasolin

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

  • AFP PHOTO / NELSON ALMEIDA

Contratado na reestruturação da Chapecoense, Wellington Paulista vive boa fase neste início de temporada. Com sete gols no ano, o atacante tem no clube de Santa Catarina o melhor aproveitamento dos últimos quatro anos.

Com a boa fase, o atacante admite ter vontade de permanecer na Chapecoense. Atualmente, Wellington pertence ao Fluminense e tem seu contrato com o clube carioca se encerrando no final da temporada.

Em entrevista ao UOL Esporte, Wellington Paulista fala sobre o momento vivido e sua relação com o técnico Vagner Mancini.

Início de temporada

A sequência maior de jogos ajuda bastante, no início do ano eu sofri um pouco, como todos sofreram com a falta de entrosamento. Tínhamos que nos conhecer no dia a dia e nos entrosamos rápido. Conseguimos vitórias importantes e emblemáticas e isso vai dando moral para iniciar bem o trabalho.

Bem-estar no clube

Eu estou muito feliz aqui na Chapecoense e já estou pensando no ano que vem também em ficar aqui, se assim a diretoria quiser. Meu contrato com o Fluminense acaba no final do ano e já estou pensando como será o ano que vem, mas tenho muita vontade de ficar. Conta muito para mim a felicidade dentro e fora de campo e isso acontece aqui. Estar feliz, me ajuda muito e a produtividade aumenta com certeza.

As diferenças da Chape

Cara, o mais maravilhoso aqui é a família, as pessoas que estão aqui. Quando cheguei aqui e já havia falado para você, todo mundo me acolheu de uma maneira maravilhosa. Nós precisamos seguir e não esquecemos quem esteve aqui, mas vim para ajudar a reerguer a cidade junto com meus companheiros. O presidente disse para mim, aqui ninguém é melhor que ninguém w nunca vou me esquecer dessas palavras. Essas palavras e ações ajudam a gente dentro de campo. São coisas pequenas que fazem toda a diferença e é difícil, ver isso em outros clubes.

Vagner Mancini

Trabalhei com ele no Cruzeiro e nos demos muito bem, é uma amizade antiga, sei como ele gosta de trabalhar, como ele é nos treinamentos e como trata as pessoas. O pessoal que já trabalhou com ele passa aos que não trabalharam como ele é e gosta de trabalhar, isso ajuda muito. Ele é um profissional excelente. 

O tamanho da Chapecoense

A parte orçamentária é bem diferente dos outros clubes grandes e isso faz com que aqui seja ainda mais especial. Temos conseguido resultados que muitos grandes não conseguiram. A visibilidade fora de campo é muito grande, pois onde a gente vai a gente senti isso. Eu sinto agora que sou mais assediado do que em outros clubes que passei todo mundo quer uma camisa, tirar uma foto e estar perto. Sabemos que isso carrega uma responsabilidade a mais, porque muitas pessoas agora torcem por nós.

Restante da Temporada

Estamos e viemos por coisas grandes, estamos próximos de conquistar um título catarinense, queremos a classificação na Libertadores, ganhar a Recopa e ir bem nas competições nacionais. A Chape está preparada para isso e nós vamos em busca disso tudo.

Nesta terça-feira (18), às 21h45 (de Brasília), a Chapecoense enfrenta o Nacional-URU, pela terceira rodada da Libertadores da América. O clube catarinense tem três pontos na classificação geral, porém está atrás de seus adversários (Lanus-ARG, Zulia-VEM e Nacional-URU), na classificação.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos